Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Obras do hotel de luxo na Gandarinha em Sintra embargadas e projeto com parecer negativo

cortesia @historiasdeportugal.info
cortesia @historiasdeportugal.info
Autor: Redação

Mesmo à entrada do centro histórico da vila de Sintra, está previsto nascer um novo hotel de cinco estrelas. Mas o polémico projeto para construir o Turim Sintra Palace Hotel na antiga Casa da Garandarinha - há mais de quatro décadas abandonada - continua a enfrentar obstáculos. As obras estão embargadas, após a câmara de Sintra ter detectado “desconformidades” com o projeto aprovado e licenciado, e agora a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) chumbou o pedido de alteração da empreitada.

O problema está em que os terrenos da antiga casa da Gandarinha em que o promotor prentende erguer a nova unidade hoteleira de luxo se inserem na paisagem cultural de Sintra, classificada como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, e estão abrangidos pela Zona Especial de Proteção do Castelo dos Mouros, Cisterna e Igreja de Santa Maria.

O Público noticia que, fundamentada por pareceres técnicos da arquitetura, arqueologia e paisagismo negativos quanto aos fundamentos do projeto, a DGPC decidiu não aprovar o projeto de alterações à empreitada que pretende tornar a antiga casa da Gandarinha num hotel de cinco estrelas.

A casa, tal como recorda o diário, foi construída em 1888 pelo Conde da Penha Longa para servir de hotel mas acabou doada em testamento pela Viscondessa da Gandarinha para ser utilizada durante décadas por uma instituição de apoio social — de protecção a raparigas sem família — até 1974. Caiu no abandono, transformou-se em ruínas, até que foi vendida, em 1997, à empresa Urbibarra.

A partir daí, nos últimos 20 anos, a recuperação desta casa tem sido a soma de várias tentativas de promover ali projetos imobiliários no setor do turismo, que falharam sempre até agora.