Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Mota-Engil coloca ex-administrador da Sonangol e da CGD no topo da gestão

Emídio Pinheiro substitui António Ferreira de Oliveira como vogal do conselho de administração da construtora portuguesa

Photo by 贝莉儿 DANIST on Unsplash
Photo by 贝莉儿 DANIST on Unsplash
Autor: Redação

O economista português Emídio Pinheiro, depois de passar pelas cúpulas da Sonangol Holdings e Indústria e da Caixa Geral de Depósitos (CGD), entra agora na administração da Mota-Engil, como vogal do conselho da construtora portuguesa. 

O gestor vai cumprir o mandato em curso, que termina no próximo ano e irá substituir no cargo António Martinho Ferreira de Oliveira, após este ter renunciado ao lugar no passado dia 31 de janeiro, segundo um comunicado enviado pela construtora à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

"A Mota-Engil informa que o Sr. Eng.º António Martinho Ferreira de Oliveira apresentou, em 31 de janeiro, a renúncia ao cargo de vogal do Conselho de Administração desta sociedade", disse a construtora portuguesa em comunicado, acrescentando que que "em reunião de 12 de fevereiro do referido Conselho, foi deliberado cooptar para vogal, e para o mandato em curso (2018-2021), o Sr. Dr. Emídio José Bebiano e Moura da Costa Pinheiro".

Emídio Pinheiro fez parte do conselho de administração da CGD até 2016, de acordo com a imprensa. Antes disso foi presidente da comissão executiva do Banco de Fomento de Angola, quando o banco português detinha uma participação maioritária no capital social do BFA. Depois da sua saída da CGD, assumiu a gestão da Sonangol Holdings e Indústria, como administrador em setembro de 2017.

Licenciado em economia pela Universidade Católica Portuguesa, o novo gestor da Mota-Engil completou a sua formação com um MBA pela Universidade Nova e com uma formação avançada em gestão pela Kellogg School of Business da Northwestern University, nos Estados Unidos.