Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Nelson Quintas investe 12,5 milhões em torre de escritórios e parking na Zona Empresarial do Porto

O edifício de escritórios estará concluído no final do ano e tem 2.600 m2 de ABL. O projeto é do arquiteto José Carlos Cruz.

Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

O grupo Nelson Quintas, que detém um conjunto de ativos nas vertentes de turismo, serviços e lazer no Grande Porto, está a investir na construção de dois edifícios na Zona Empresarial do Porto (ZEP), destinados a escritórios, estacionamento e comércio. O investimento total estimado é de 12,5 milhões de euros.

Ao idealista/news, Daniel Oliveira, gestor dos projetos imobiliários do grupo, confirmou o desenvolvimento de “uma torre icónica, um edifício diferenciador, com projeto do gabinete do reconhecido arquiteto José Carlos Cruz, com uma localização única, na intersecção entre a rua Manuel Pinto Azevedo e a Av. Antunes Guimarães”.

Nelson Quintas
Nelson Quintas

O edifício envidraçado, com 2.600 metros quadrados (m2) de Área Bruta Locável (ABL), é composto por 12 frações de escritório, em ‘open space’, com possibilidade de união de pisos completos com espaços modulares de 200 a 400 m2 de ABC (Área Bruta Construção), para além de dois espaços comerciais no piso térreo.

“A conclusão do edifício está prevista para novembro próximo, sendo possível a realização de obras de fit-out em dezembro”, destaca Daniel Oliveira, frisando que estão já em curso “as pré-reservas de frações”.

Estacionamento em edifício com cobertura verde

No lote contíguo ao edifício de escritórios, o grupo Nelson Quintas está a investir na construção de um parque de estacionamento subterrâneo para dar resposta à enorme procura que existe nessa zona da cidade.

O edifício, com a conclusão da construção prevista para a primeiro trimestre de 2021, prevê três pisos enterrados, num total de 175 lugares. “A proximidade a vários edifícios de escritórios, do IPAM (Instituto Português de Administração de Marketing) e de várias unidades fabris que ali existem, faz com que haja uma forte procura por parte dos clientes/utilizadores”, destaca Daniel Oliveira.

Acrescenta que este edifício terá, como particularidade, “a cobertura verde, ao nível do piso térreo, proporcionando um local de lazer/usufruto público para os utentes dos edifícios de escritórios na envolvente, ideal para as suas pausas do trabalho”.

Para o gestor, a localização estratégica da ZEP é “o ponto essencial do sucesso”, pois tem ligações rápidas às várias redes viárias ( VCI -Via Cintura Interna, Via AEP, Circunvalação, Av. Boavista), bem como as duas estações do Metro (Ramalde e Viso).

Na sua opinião, estes fatores permitiram o aparecimento de vários projetos que se encontram em desenvolvimento (alguns ainda em estado embrionário). Mas, destaca, a “administração do grupo Nelson Quintas teve atempadamente essa visão e pode assim, este ano, concretizar estes dois projetos”, refere.

Ergicon assegura construção dos dois edifícios

Os dois edifícios, promovidos pelo grupo Nelson Quintas, têm a construção assegurada pela Ergicon – Engenharia e Construção, grupo com atividade sobretudo em Portugal, Angola e Moçambique.

Martinho Vidal, fundador e CEO do grupo Ergicon, confirma que o edifício de escritórios tem conclusão prevista para o último trimestre de 2020 e o parque de estacionamento no 1º trimestre de 2021. Acrescenta que, no caso do parking, os trabalhos estão a decorrer dentro do previsto, embora com as contingências conhecidas devido ao período de pandemia.

Reforça, também, as “dificuldades acrescidas na sua execução devido ao tipo de terrenos encontrados e respetivas condições geológicas, o que obriga a reforço de meios e maior duração na realização das atividades”.

Na opinião de Martinho Vidal, a ZEP é uma zona económica por excelência, devido à sua localização, facilidade de acessos e envolvência industrial, mas também pelo facto de ser uma zona já consolidada relativamente ao tecido empresarial existente. Razões que levam a que haja uma grande procura de espaços comerciais e de serviços nesta zona, “o que tem motivado nos últimos tempos e julgo continuará a motivar os diversos promotores a investirem principalmente em espaços comerciais e de serviços, quer ao nível da reabilitação, quer ao nível de novos espaços”, frisa o CEO da construtora.

Portfólio relevante na área de escritórios

O grupo Nelson Quintas tem investimento em diversas vertentes concentrando o seu portfolio de ativos na área do Grande Porto. Destaca-se a propriedade do edifício onde está instalada a cadeia Vincci Hotel, com 95 quartos, que resultou da reabilitação do conhecido imóvel Frigorífico do Peixe, na marginal do rio Douro, em Massarelos.

Mais recentemente comprou um edifício de apartamentos turísticos contíguo à icónica Estação de São Bento.

Com relevante incidência na área de escritórios, o grupo Nelson Quintas detém vários pisos em rendimento em edifícios conceituados no eixo do CBD Boavista (Central Business District), nomeadamente nos edifícios Scala, Península e Brasília, que apresentam uma ocupação plena.