Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Agora é o BCE que está em alerta com preços das casas

Pixabay
Pixabay
Autor: Redação

Depois de chegar de Bruxelas o alerta de que a Comissão Europeia está preocupada com a subida de preços das casas, agora é a vez de o Banco Central Europeu (BCE) tornar públicos os seus receios quanto à valorização dos custos da habitação. O regulador da zona euro, sem nunca apontar Portugal ou Lisboa, mostra-se apreensivo com a escalada registada nas capitais dos países da moeda única. E alerta que poderá haver uma “excessiva exuberância” em alguns mercados, promovida sobretudo por investidores estrangeiros.

“Apesar das divergências na evolução dos preços a nível regional poderem ser justificadas por fatores fundamentais, tais como diferenças no rendimento, emprego, dinâmicas da população e serviços, podem também sinalizar uma exuberância excessiva nos preços das casas em determinadas áreas, por exemplo devido à forte presença de compradores estrangeiros”, aponta o banco central no mais recente Relatório de Estabilidade Financeira, publicado esta quarta-feira.

O BCE frisa que esta "exuberância" se destaca já de forma acentuada em cidades como Berlim, Paris, Viena e Amesterdão e teme que venha a ter um efeito de contágio nas restantes capitais europeias - onde também já se vivenciam ciclos de alta nos preços da habitação, como acontece em Lisboa. “Neste sentido, parece ser necessária uma monitorização próxima da tendência dos preços dos imóveis, uma vez que poderá indicar um crescendo das vulnerabilidades nos mercados imobiliários a nível nacional”, indica o documento da instituição liderada por Mario Draghi.

Riscos para banca e economia com escalada do imobiliário

A escalada dos preços das casas é explicada, além do efeito dos investidores estrangeiros, pelo contexto de taxas de juro muito baixas, que tem incentivado os compradores nacionais a comprarem mais, porque o crédito à habitação está barato e os produtos de poupança mais tradicionais dão rentabilidades quase nulas. 

E o BCE deixa aproveita ainda para deixar o aviso: “a evolução exuberante dos preços das casas em zonas específicas poderá ameaçar a estabilidade das instituições financeiras mais expostas ao crédito hipotecário concentrado nessas zonas. Isto num contexto de taxas de juro baixas que leva a uma procura por rentabilidade”.

Bolha imobiliária? Draghi diz que não

Esta quarta-feira, numa conferência sobre a Estabilidade Financeira organizada pelo Banco de Espanha, o presidente do BCE veio, porém, afastar os riscos de uma bolha especulativa no mercado imobiliário europeu.

Mas, em Madrid, Mario Draghi aproveitou para reiterar o alerta da necessidade de manter uma "vigilância apertada" nessa e noutras áreas. O super regulador explicou que "o crescimento positivo do valor de mercado no setor imobiliário ajuda ao crescimento do crédito, e ao mesmo tempo contribui para aumentar o valor no setor".

Neste contexto, o responsável pela política monetária da Zona Euro defende que "é necessário" manter "uma vigilância apertada" sobre os riscos nos empréstimos concedidos pelos bancos e o seu impacto na rentabilidade das instituições financeiras e nos investimentos institucionais.