Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Preço das casas sobe 7% em Portugal no terceiro trimestre

Autor: Redação

O preço das casas em Portugal subiu 7% no terceiro trimestre de 2017 face ao trimestre anterior, situando-se em 1.602 euros por metro quadrado (m2), segundo o índice de preços do idealista. Os valores subiram em todas as regiões, mas o Porto – à semelhança do trimestre anterior – continua a liderar a subida entre as grandes cidades (com 11,1%), seguido por Setúbal (6,9%). Ainda assim, Lisboa continua a ser a cidade onde é mais caro comprar um imóvel residencial, com os preços a chegar quase aos 4.000 euros por m2.

Regiões

Todas as regiões assistiram a um aumento de preços em relação ao segundo trimestre do ano. As regiões que apresentaram uma subida mais significativa foram Lisboa e Norte (8,8% e 6,8% respetivamente), seguidas por Algarve, com um aumento de 3,1%. Em sentido inverso - as regiões com as menores subidas - encontram-se Alentejo (2%), Centro (1,8%) e Madeira (1,2%).

Lisboa, com 2.231 euros por m2, continua – sem surpresas - a ser a região mais cara para comprar uma casa, seguida pelo Algarve (1.649 euros por m2) e Madeira (1.288 euros por m2). Do lado oposto da tabela, encontra-se o Centro (956 euros por m2), o Alentejo (1.096 euros por m2) e o Norte (1.155 euros por m2).

Distritos

Face ao segundo trimestre do ano, 12 distritos viram os preços subir. Os maiores aumentos aconteceram em Lisboa (9,5%), Porto (8%) e Bragança (4,6%). Já a maior descida foi registada em Viseu e Vila Real (-1,7% em ambos os casos)  e em Santarém (-0,7%).

O ranking dos distritos mais caros é liderado por Lisboa (2.650 euros por m2), seguido por Faro (1.649 euros por m2) e Madeira (1.289 euros por m2). Os preços mais económicos podem encontrar-se na Guarda (646 euros por m2), Bragança (657 euros por m2) e Portalegre (687 euros por m2). 

Capitais de distrito

Durante o segundo trimestre de 2017, foram 14 as capitais de distrito que viram os preços das casas aumentar. O Porto lidera a subida entre as grandes cidades com 11,1%, seguido por Setúbal (6,9%) e Braga, com um aumento de 5,5%. Por outro lado, Viseu assistiu a uma queda de preços de 4,5%, seguida por Beja (-3,5%) e Viana do Castelo (-1,5%).

De referir que Lisboa continua a ser a capital de distrito onde é mais caro comprar casa, custando 3.946 euros por m2. Seguem-se Porto (2.094 euros por m2) e Funchal (1.561 euros por m2). Em contrapartida, as capitais com os preços mais económicos são Bragança (638 euros por m2), Guarda (711 euros por m2) e Castelo Branco (724 euros por m2).