Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Emissão de certificados energéticos dispara em 2017

ADENE
ADENE
Autor: Redação

O número de certificados energéticos emitidos pela ADENE – Agência para a Energia para habitação dispararam entre 2015 e 2017. Só em 2017 a ADENE emitiu 30.146 certificações no âmbito de construção nova ou requalificação, mais 16.588 que em 2015. O volume de pedidos por reabilitação urbana mais que triplicou nestes dois anos.

“Assistimos nos últimos três anos a uma dinâmica sustentada quer em grandes intervenções quer na criação de novo edificado em Portugal”, disse Manuel Bóia, administrador da ADENE – entidade que nos últimos dez anos “aprovou” cerca de 1,4 milhões de selos energéticos –, citado pelo Diário de Notícias. 

Em 2015, a ADENE emitiu 13.558 certificados, um número que subiu para pouco mais de 20.000 em 2016. No ano passado, entre imobiliário novo e reabilitado, foram atribuídos outros 30.146 documentos.

De referir que desde 2009 que os certificados são obrigatórios para a celebração de um contrato de compra e venda – para casas usadas e novas – ou para o arrendamento de um imóvel.

“Os edifícios novos continuam a predominar face aos edifícios reabilitados. A proporção de crescimento que verificamos em relação à emissão de certificados energéticos para os edifícios novos e o edificado reabilitado tem variado numa proporção de 80% – 20%”, referiu o responsável.

Em 2016 foram emitidos 16.000 certificados para imóveis de nova construção, mais 39% que no ano anterior, e em 2017 criaram-se outros 23.646 (+47,8%).

No entanto, são os certificados por reabilitação, emitidos sempre que um imóvel é alvo de uma intervenção superior a 25% do seu valor, os que mais cresceram: entre 2015 e 2017 mais que triplicaram. Passaram de 4.062 em 2016, mais 97,4% que em 2015, para 6.500 no ano passado, um aumento homólogo de mais de 60%.