Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Proprietários que recuperem prédios em Cascais ficam isentos de pagar IMI

Em causa está uma isenção de cinco anos para imóveis que se situam dentro das ARU e de três anos para os restantes.

Alice Butenko/Unsplash
Alice Butenko/Unsplash
Autor: Redação

A habitação acessível, nomeadamente patra estudantes, é uma das apostas da Câmara Municipal de Cascais (CMC), que prevê investir cerca de 150 milhões de euros neste segmento. A autarquia pretende também “premiar” os proprietários que recuperem edifícios com a isenção do Imposto Municipal Sobre Imóveis (IMI),

Segundo a CMC, o orçamento do município para 2020 supera os 253 milhões de euros, mais 9% que o deste ano. “É o maior orçamento de sempre”, disse a autarquia, em comunicado. 

Relativamente ao tema IMI, a principal novidade é a isenção total do pagamento do imposto para os proprietários que recuperarem os edifícios: cinco anos de isenção para imóveis que se situam dentro das Áreas de Recuperação Urbana (ARU) e isenção de três anos para todos os restantes, escreve o ECO

Fonte oficial da CMC explicou, citada pelo ECO, que “a autarquia tem muita habitação, com muita qualidade, muitas empresas e, por isso, um IMI forte”. “A câmara é financeiramente robusta e pode fazer esse tipo de coisas. O objetivo é fomentar a regeneração urbana, deixarmos de ter prédios degradados e fechados e incentivar os proprietários a recuperá-los”, afirmou.

Ainda sobre o IMI, está prevista a terceira quebra consecutiva no imposto a pagar pelos proprietários, com uma diminuição para 0,35%, menos 0,01% em relação a este ano. A autarquia irá ainda manter o desconto no IMI para as famílias numerosas, o que se traduz numa poupança de 14,5 milhões de euros para estes agregados familiares.