Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Quartos para arrendar em Portugal: oferta disparou 77% no último ano e Lisboa é a cidade mais cara

Qual é o perfil de quem partilha casa no país? Têm, em média, 33 anos, e vivem no centro de grandes cidades.

Photo by Andrew Neel on Unsplash
Photo by Andrew Neel on Unsplash
Autor: Redação

Há muito tempo que arrendar um quarto deixou de ser apenas uma tendência ligada ao universo dos estudantes. Há cada vez mais jovens adultos a optar por esta solução: seja porque se estão a iniciar no mercado de trabalho ou porque querem viver fora de casa dos pais e esta é uma opção mais barata, face aos custos de arrendar uma casa inteira - e é também, claro, uma alternativa à compra. Neste último ano, segundo um estudo* publicado pelo idealista, o marketplace imobiliário de Portugal, a oferta de quartos para arrendar em casa partilhada disparou 77%, algo que contribuiu para uma ligeira quebra de preços em algumas zonas. 

De acordo com o relatório anual sobre arrendamento de quartos, o aumento da oferta provocou descidas nos preços em Lisboa e no Porto, sendo a descida na capital de 9% e na cidade Invicta de 3%, face aos últimos 12 meses. Os preços também baixaram em Faro, em torno de 8%. Já em Coimbra e Braga, os valores dos quartos para arrendar mantêm-se inalterados em comparação ao último ano, sendo que em Aveiro e Leiria subiram, com um aumento de 13% em ambas as cidades.

Cidade Idade média Preço agosto 2019 (€) Preço agosto 2020 (€) Variação
Aveiro 31 236 € 267 € 13%
Braga 33 256 € 255 € 0%
Coimbra 27 202 € 203 € 0%
Faro 29 315 € 290 € -8%
Leiria 31 190 € 214 € 13%
Lisboa 32 410 € 371 € -9%
Porto 31 308 € 299 € -3%
Setúbal 35 280 € 288 € 3%

Apesar da descida, Lisboa continua a ser a cidade com os quartos mais caros em Portugal, onde os preços rondam os 371 euros mensais, seguida pelo Porto (299 euros por mês), Faro (290 euros por mês), Setúbal (288 euros), Aveiro (267 euros) e Braga (255 euros). Por outro lado, das cidades analisadas, as mais económicas para arrendar um quarto são Coimbra (203 euros) e Leiria (214 euros).

De referir ainda que a procura de quartos em Portugal cresceu 8% em comparação com o período homólogo.

O perfil de quem partilha casa

Pessoas com 33 anos, que vivem no centro de grandes cidades e não fumam (apesar de tolerantes com quem fuma), marcam o perfil das pessoas que partilham casa em Portugal:

A idade média dos habitantes de uma casa partilhada varia em função da zona geográfica, sendo Setúbal a cidade com a média mais alta, rondando os 35 anos. Seguem-se Braga, com uma média de idades de 33 anos e Lisboa onde a média é de 32 anos. Em Aveiro, Leiria e Porto, a média é de 31 anos para as três cidades, seguidas por Faro, com uma média de 29 anos. Coimbra, tradicionalmente estudantil, apresenta uma média de idades mais baixa - os habitantes de casas partilhadas nesta cidade rondam os 27 anos.

O estudo mostra ainda que em 77% das casas convivem ambos os sexos, enquanto em 18% vivem apenas indivíduos do sexo feminino e 5% exclusivamente masculino.

Arrendar quarto já não é só para estudantes

Os dados publicados neste relatório revelam que o arrendamento de quartos deixou de ser uma opção habitacional apenas para estudantes, convertendo-se também na opção eleita por jovens nos seus primeiros anos no mercado de trabalho e em alguns casos até mais tarde. A atual realidade do mercado de arrendamento português nas grandes cidades faz com que seja complexo para muitas pessoas solteiras ou separadas suportar o custo de uma casa, tornado o arrendamento de um quarto a opção mais vantajosa. Por outro lado, partilhar casa continua a ser um estímulo para muitos jovens com vontade de serem independentes e de sairem da casa dos pais, uma tendência que deverá aumentar nos próximos anos. 

*Metodologia do estudo

Para a realização deste estudo foram considerados apenas os distritos com uma base estável no idealista durante o período analisado e com um número mínimo de 50 anúncios por distrito.