Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Dança das cadeiras na Habitação: Marina Gonçalves substitui Ana Pinho como secretária de Estado

Governo faz remodelação em vários ministérios e governantes tomam hoje posse. Ana Pinho, que já vinha da anterior legislatura de Costa, sai por motivos pessoais.

Marina Gonçalves, 32 anos, é atualmente deputada e e vice-presidente da bancada do PS.  / ARTV
Marina Gonçalves, 32 anos, é atualmente deputada e e vice-presidente da bancada do PS. / ARTV
Autor: Redação

A Secretaria de Estado da Habitação vai ter um novo rosto. Depois de ter transitado do anterior Governo, Ana Pinho sai agora sem acabar a legislatura, por alegados motivos pessoais, apurou o idealista/news. A arquiteta de formação e conhecida, nomeadamente, por ter levado a cabo a Nova Geração de Políticas de Habitação, passa agora a pasta a Marina Gonçalves, atualmente deputada e vice-presidente da bancada do Partido Socialista (PS). A tomada de posse, dada pelo Presidente da República, acontece na tarde de hoje, quinta-feira (17 de setembro de 2020) numa cerimónia restrita no Palácio de Belém, em Lisboa.

Forte defensora do mercado de arrendamento a preços acessíveis, como forma de combater a atual crise habitacional do país, Ana Pinho esteve na equipa do primeiro-ministro socialista António Costa desde o momento em que foi criada a pasta da Habitação, em julho de 2017, primeiro trabalhando com João Pedro Matos Fernandes como ministro, e transitando depois para a equipa de Pedro Nuno Santos, quando este assumiu a liderança da área. 

Ana Pinho é exonerada esta tarde do cargo de secretária de Estado da Habitação.
Ana Pinho é exonerada esta tarde do cargo de secretária de Estado da Habitação.

A mudança, implementada hoje, acontece no âmbito de uma nova remodelação governamental que se traduz na nomeação de cinco novos secretários de Estado dos ministérios da Educação, Saúde, Infraestruturas e Habitação, e Mar. Além disto, Marcelo Rebelo de Sousa voltará a empossar António Sales, que é promovido no ministério de Marta Temido a secretário de Estado Adjunto e da Saúde, substituindo Jamila Madeira.

Esta segunda recomposição do XXII Governo Constitucional - depois da "dança de cadeiras" nas Finanças, por causa da saída de Mário Centeno para o Banco de Portugal - foi desencadeada pela necessidade de José Apolinário abandonar as funções de secretário de Estado das Pescas para se candidatar em outubro à eleição para presidente da Comissão de Coordenação e Regional do Algarve.

No Ministério das Infraestruturas e da Habitação serão exonerados os secretários de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Souto de Miranda, e da Habitação, Ana Pinho, substituídos, respetivamente, por Hugo Santos Mendes (era chefe de gabinete do ministro) e por Marina Gonçalves - apontados internamente ao idealista/news como duas das pessoas da maior confiança pessoal de Pedro Nuno Santos.

Quem é a nova responsável pela Habitação?

Natural do concelho de Caminha, Marina Gonçalves, com 32 anos, é deputada eleita pelo círculo de Viana do Castelo, ocupando atualmente o cargo de vice-presidente do grupo parlamentar do PS. Tem vindo a acompanhar os dossiês da habitação, trabalho e Segurança Social. 

Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto e mestre em Direito Administrativo, depois de estagiar como jurista, (tem a inscrição suspensa na Ordem dos Advogados, a pedido do própria, segundo a biografia publicada no site do Parlamento) a nova secretária de Estado da Habitação iniciou funções de assessora do gabinete do Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares em 2015.

Foi ainda assessora do grupo parlamentar do PS e desempenhou várias funções, incluindo a de chefe de gabinete do ministro das Infraestruturas e da Habitação.

Os outros novos membros do Governo socialista de Costa

Para o Ministério da Educação, a jurista Inês Ramires assume o cargo de secretária de Estado da Educação, substituindo a ex-deputada do PS e anterior presidente da Câmara Municipal de Odivelas Susana Amador.

Na Saúde, António Sales sobe na hierarquia, substituindo como secretário de Estado Adjunto e da Saúde Jamila Madeira, que foi líder da Juventude Socialista, eurodeputada e dirigente do PS.

Para as funções até aqui exercidas por António Sales, de secretário de Estado da Saúde, entra Diogo Serras Lopes, atual vice-presidente do conselho diretivo da Administração Central do Sistema de Saúde e que foi assessor para as questões económicas no gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

No Ministério do Mar, José Apolinário abandonará o cargo de secretário de Estado das Pescas para se candidatar em outubro à eleição para presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve. Para o seu lugar no Governo irá entrar Teresa Estêvão Pedro, advogada que foi representante de Portugal no conselho de administração da Agência Europeia de Controle das Pescas entre 2010 e 2012.