Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Custos com a habitação na UE (e em Portugal) são mais pesados para cidadãos estrangeiros

Cidadãos nacionais têm menos custos com a habitação em Portugal quando comparados com a média dos restantes países europeus (5,9% Vs 9%).

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay
Autor: Redação

Em 2019, 25% dos cidadãos não pertencentes à UE que viviam na UE-27 enfrentavam um fardo significativo no seu rendimento disponível com despesas de habitação. Um número superior aos custos de habitação dos cidadãos de outros países da UE (19%) e dos nacionais (9%). No caso de Portugal, a tendência é semelhante, sendo que os cidadãos nacionais têm menos custos com a habitação quando comparados com os dos restantes países europeus (5,9%).

Em causa estão dados divulgados recentemente pelo Eurostat, que explica que a taxa de sobrecarga dos custos de habitação é definida como a percentagem da população que vive em agregados familiares onde os custos de habitação totais representam mais de 40% do rendimento líquido disponível.

Eurostat
Eurostat

De acordo com o gabinete de estatísticas europeu, entre 2010 e 2019, a taxa de sobrecarga dos custos da habitação na UE-27 observada para os cidadãos de países terceiros aumentou de 25% para 31% em 2014, tendo depois caído para 25% em 2019.

Para cidadãos de outros estados-Membros da UE, a taxa rondou os 23% durante o período 2010-2012 antes de diminuir para um nível de 17% em 2018. Depois, em 2019, aumentou para 19%.

No que diz respeito à taxa de sobrecarga dos custos da habitação para os cidadãos nacionais que vivem na UE-27, rondou os 10% entre 2010-2018: o máximo deu-se em 2013 (11%) e o mínimo em 2010 e, agora, em 2019, os já referidos 9%.

A Grécia era o país que, em 2019, tinha a maior taxa de sobrecarga de custos de habitação para cidadãos de países terceiros (70%). Seguem-se na lista Bulgária (40%), Espanha (34%) e Polónia (30%). Já as taxas mais baixas, todas abaixo de 10%, foram observadas em Chipre (8%), Letónia (8%, dados de 2018) e Estónia (7%).

Para os cidadãos de outros estados-Membros da UE, a taxa de sobrecarga dos custos de habitação mais elevada também foi registada na Grécia (57%), com Malta e Espanha, por esta ordem, a completarem o pódio, com 35% e 33%, respetivamente.

Para os cidadãos nacionais, a taxa de sobrecarga dos custos de habitação variou em 2019 de 1% em Chipre e Malta a 34% na Grécia.