Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

obras para mundial de futebol e jogos olímpicos forçam 170 mil brasileiros a sair de casa

estádio maracanã, no rio de janeiro, um dos que vai receber o mundial de 2014
Autor: Redação

o brasil está a apostar forte na organização do mundial de futebol de 2014 e nos jogos olímpicos de 2016, dois dos maiores eventos desportivos do mundo. nesse sentido, muita coisa está a mudar no país, sendo que, por exemplo, estão a ser construídos e remodelados estádios, modernizadas infra-estruturas urbanas e redes de transporte e construídas novas estradas. mas nem tudo são boas notícias, já que milhares de pessoas (as estimativas apontam para 170 mil) estão a ser forçadas a sair de casa

de acordo com o expresso, que se apoia em dados da articulação nacional dos comités populares do mundial-2014, cerca de 170 mil brasileiros foram desalojados ou deslocados na sequência das obras em curso desde o ano passado em 12 cidades brasileiras: rio de janeiro, são paulo, fortaleza, recife, natal, salvador, manaus, cuiabá, curitiba, belo horizonte, brasília e porto alegre. tudo porque em “prol da revitalização” destas áreas, que terão visibilidade durante as duas competições

a maioria da população afectada tem poucos recursos financeiros, estando a ser “empurrada” para a periferia, para locais carentes de serviços públicos. segundo o expresso, em muitos casos as pessoas são compensadas com indeminizações irrisórias pelo valor do imóvel no qual habitam, noutros são mesmo expulsas, havendo casos de desalojamentos forçados

já no ano passado, raquel rolnik, relatora especial da onu para a moradia adequada, acusou as autoridades das cidades brasileiras que vão receber o mundial de futebol de 2014, sobretudo as do rio de janeiro, onde também se realizarão as olimpíadas, de realizar desalojamentos forçados que poderiam constituir violações dos direitos humanos. uma opinião, de resto, partilhada pela amnistia internacional