Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Casas à venda: a desesperada medida de um autarca italiano para salvar uma aldeia

Autor: Redação

Montieri está a morrer. Sofre de uma longa enfermidade que começou em 1901 com uma lenga mas progressiva perda de habitantes. Dos quais 6.000 residentes que havia então, hoje apenas vive ali uma quinta parte. À aldeia restam-lhe menos de 1.200 almas, e o número reduz-se cada vez mais. O destino estava já escrito para esta pequena localidade do norte de Itália, não fosse o tratamento de choque proposto pelo seu autarca Nicola Verruzzi: "venderemos as casas ao preço simbólico de um euro a quem se comprometa a reformá-las".

A medida não é nova em Iália. Aliás, desde antes do verão o município siciliano de Gangi, eleito a aldeia mais bonita de Itália em 2014, oferece casas grátis a qualquer cidadão da União Europeia que se comprometa formalmente a restaurar a propriedade.

Verruzi decidiu adoptar uma medida similar e explicou ao idealista/news porque resolveu oferecer imóveis abandonados ou com problemas estruturais a troco de uma moeda de euro nesta aldeia que nasceu como zona mineira em 896 depois de Cristo. A única condição é que se leve a cabo uma reabilitação completa do edifício antes de três anos. Caso contrário, o município voltará a tomar posse da casa.

Porque colocaram em marcha esta iniciativa?

Antes de tomar medidas mais drásticas, decidimos avançar com uma proposta deste tipo, porque nos oferece a visibilidade mediática necessária para que o nosso problema seja conhecido. Além disso, permite-nos reativar o círculo virtuoso da oferta e da procura. Estamos a investir na remodelação das aldeias e do turismo. Por isso, pedimos aos proprietários que não residem aqui, nem têm interesse na aldeia, que nos cedam as suas propriedades em ruínas.

Ou seja  muitos proprietários não são residentes em Montieri. 

Não, muitos são os herdeiros das casas que pertenciam aos seus avós. Além disso, neste momento, muitas dessas pessoas não têm o dinheiro necessários para investir.

E qual é o processo para ficar-se com uma destas casas?

Em primeiro lugar, o município fez uma pré-seleção das propriedades. Além disso, estabelecemos um acordo com as agências imobiliárias para que quando liguem aos interessados, fiquem com o sdados e nos asseguremos de poder colocar em contacto o proprietário com o possivel comprador, tudo validado pela administração local.