Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Os cães voltam a viver na Casa Branca com Joe Biden - Champ e Major já estão instalados

Trump foi o primeiro presidente desde Andrew Johnson, na década de 1860, a não partilhar as obrigações presidenciais com um animal de estimação.

El Español
El Español
Autor: Redação

Até à chegada de Donald Trump à Casa Branca, que decidiu em sentido contrário, os cães eram residentes habituais e obrigatórios. Faziam, aliás, parte do "establishment" político norte-americano. Agora, com Joe Biden retoma-se a tradição e os amigos de quatro patas voltam a fazer parte da vida familiar do presidente dos Estados Unidos da América.

Neste caso, os novos membros da Casa Branca são Champ e Major, dois pastores alemães trazidos de Delaware, quase uma semana depois dos Biden se instalarem no número 1600 da Pennsylvania Avenue, em Washington D.C.

Cães resgatados

Major será o primeiro cão resgatado por uma associação de animais a viver na Casa Branca. Os Bidens adoptaram-no em novembro de 2018, da Associação Delaware Humane. Mas este não é o primeiro cachorro abandonado a chegar à Casa Branca. O presidente Lyndon B. Johnson adotou um cão de rua - Yuki - que a sua filha encontrou num posto de gasolina no Texas no dia de Ação de Graças de 1966. E representava o ideal do sonho americano: um ão vira-lata transformado no animal de estimação do presidente.

Champ, também um pastor alemão, juntou-se à família em 2008, semanas depois de Biden se ter tornado vice-presidente eleito durante a administração de Barack Obama. Champ tem o pelo castanho claro, com um focinho escuro, e Major tem o pelo preto com patas castanhas claras.

Animais de estimação que são estrelas

Os Obama também partilharam a sua estadia na Casa Branca com dois cães de origem portuguesa: Bo e Sunny. Esses dois cães de água eram tão populares que Michelle Obama chegou a dizer que "todo mundo quer vê-los e tirar fotos".

A presidência de Bill Clinton ficou marcada por uma tempestuosa relação dos seus animais de estimação. Durante o seu mandato como presidente, teve um labrador retriever chamado Buddy e um gato apelidado de Socks, que sempre brigavam. O New York Times apelidou o casal de animais de estimação de "nemesis".

Gerge W Bush tinha dois Scottish Terriers chamados Miss Beazley e Barney, que até compareceram às reuniões de gabinete do presidente. Os terriers são muito valorizados na Casa Branca. Franklin D Rooselvelt também era dono de um: Fala, que tinha sua própria secretária para responder à correspondência, figurou numa série de desenhos animados e foi até soldado honorário do Exército dos Estados Unidos.

Além dos cães, há muitos animais de estimação na Casa Branca. Por exemplo, McKinley tinha um papagaio capaz de assobiar "Yankee Doodle" e os Kennedys tinham um pônei - Macaroni - que foi capa da revista Life.

Donald Trump foi o primeiro presidente desde Andrew Johnson, na década de 1860, a não partilhar as obrigações presidenciais com um cão ou um gato (ou mesmo com um guaxinim, como o de Calvin Coolidge nos anos 1920).

Kamala Harris, a vice-presidente eleita agora nos EUA, e o seu marido, também não têm animais de estimação.