Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Centro Pompidou aterra nos EUA – museu francês vai abrir filial em Jersey City

Esta abertura enquadra-se na estratégia de internacionalização do centro francês que nos últimos anos inaugurou espaços em Málaga, Bruxelas e Xangai.

Pathside Building, EUA
‘Pathside Building', situado na 25 Journal Square / Google Maps
Autor: Redação

A cultura volta a viajar além-fronteiras. Em França, a administração do Centro Georges Pompidou já chegou a acordo com a câmara de Jersey City, nos Estados Unidos, para abrir uma filial deste centro cultural francês, que acolhe o Museu Nacional de Arte Moderna do país.  

E esta não é a primeira vez que o Centro Pompidou, que se situa em Paris, alarga os seus horizontes. A sua estratégia de internacionalização já o levou a abrir três semelhantes filias: a primeira em Málaga, Espanha, em 2015; a segunda em Bruxelas, Bélgica, em 2018; e a mais recente em Xangai, China, em 2019, escreve o El País.

Desta vez, o centro deu o salto ao continente americano, onde pretende abrir um novo espaço que ocupará um antigo edifício industrial centenário designado ‘Pathside Building' de 5.400 metros quadrados, que se situa na 25 Journal Square. O espaço será reformado pelo estúdio OMA, sob a orientação de Rem Koolhaas – o mesmo arquiteto da Casa da Música do Porto, recorda o Público.

Os custos com a obra deverão estar entre os 10 e os 30 milhões de dólares – o equivalente 8,2 e 24,61 milhões de euros de acordo com a taxa de câmbio atual. Terminada a renovação, este novo espaço irá designar-se Centre Pompidou x Jersey City. A sua inauguração está prevista para o início de 2024.

Centro Pompidou
Centro Pompidou em Paris / Imagem de pixabairis por Pixabay
No âmbito deste projeto que foi anunciado na passada sexta-feira (dia 5 de junho de 2021), o presidente do centro francês, Serge Lasvignes, comentou que a “nossa ideia é sermos confrontados com o que é muito diferente”. E acrescenta ainda que “para nós, esta é uma nova forma de aprender –novas circunstâncias, uma nova forma de apresentar a arte, uma nova forma de organizar as exposições”, cita o The New York Times que avançou a notícia.

Este projeto conta com o apoio do município norte-americano, que vai disponibilizar uma verba anual de cerca de 6 milhões dólares (o equivalente a 4,92 milhões de euros à taxa de câmbio atual) para o desenvolvimento de projetos, ‘branding’, elaboração do programa educativo e organização de exposições. Mais do que um museu, este novo espaço nos EUA pretende ser um centro multicultural que receberá conferências, exibirá filmes e acolherá apresentações ao vivo, refere ainda o jornal norte-amerciano.

Se o projeto de reforma do edifício for aprovado pelo município de Jersey City, o centro francês pretende expor 120.000 obras da sua coleção. E como o Centro Pompideu em Paris irá iniciar o seu processo de restauro em 2023 - que têm duração prevista de quatro anos – é espectável que as suas filiais espalhadas pelo mundo ganhem um maior interesse internacional neste período.