Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Minimalismo. Ou como decorar a casa com estilo sem gastar uma fortuna

Autor: Redação

Queres ter uma casa única, confortável e sofisticada, mas sem gastares muito dinheiro? Na rubrica de hoje do idealista/news sobre home staging, assegurada pela Home Staging Factory, explicamos-te como sacar partido do estilo minimalista e damos-te várias dicas que te podem ajudar a ter a decoração que queres. Afinal, ensinar a aproveitar e valorizar ao máximo o potencial de cada espaço e tornar os imóveis mais atrativos é o nosso objetivo.

Costuma-se dizer que não se pode ter a manteiga e o dinheiro da manteiga. Ainda assim no que toca a decoração, queremos ajudar-te a chegar a um ponto intermédio!

Nascido no início do século XX, o minimalismo surgiu de uma série de movimentos artísticos e culturais, tendo por base a utilização apenas de elementos fundamentais. O design minimalista surgiu mais tarde, já na década de 80 e caraterizou-se pela criação de produtos, visualmente, reduzidos ao essencial, inclusive no uso da cor – essencialmente cores neutras ou até mesmo ausência de cor.

Na decoração, o estilo minimalista é isso mesmo – ambientes cuidadosamente decorados apenas com o essencial, aliando a estética à funcionalidade.

A ideia é subtrair tudo aquilo que é desnecessário, o que está em excesso, ou não é estritamente necessário para ter um espaço funcional, bonito e confortável. É utilizar o espaço em branco da tela; é deixar que o mobiliário e as peças decorativas respirem e vivam individualmente como se estivessem expostas numa galeria de arte.

Quando se trata de decoração na óptica do investimento, este movimento não poderia fazer mais sentido. Acreditamos que os espaços, para serem comercialmente apelativos e distintos devem apostar em poucas peças mas singulares e marcantes. Desta forma consegue-se mobilar com impacto sem gastar uma fortuna. 

Por outro lado, em casas orientadas para o segmento do turismo, é importante que os ambientes sejam decorados com poucos objetos, cores neutras e com mobiliário o mais clean e funcional possível. Além de um ambiente que agrada a gregos e troianos, consegue-se poupar bastante nos custos de manutenção e limpezas.

O estilo minimalista é, muitas vezes, confundido com o Industrial e Escandinavo, visto estes dois estilos apostarem também em ambientes depurados, visualmente muito limpos, cores neutras e objetos de linhas rectas.

Para ajudar-te a poupar sem teres que apostar apenas nas marcas low cost e caíres no erro de ficares com uma casa igual a meio mundo aqui ficam algumas dicas.

Não compliques. Sê prático.

Pensa em termos práticos e funcionais. Não tenhas medo dos espaços vazios ou em branco. Eles são muito úteis para dar a sensação de grandeza e facilitar a circulação. Às vezes apenas um apontamento num espaço é suficiente.

The Home Staging Factory
The Home Staging Factory

 

Peças distintas

Se não tens muito dinheiro para gastar, mas ainda assim queres criar um ambiente top utiliza algum mobiliário básico e low cost e acrescenta-lhe uma peça marcante, com design ou dimensão suficiente para encher o olho e o espaço.

The Home Staging Factory
The Home Staging Factory

 

Linhas geométricas

Para ter um ambiente minimalista, mas sofisticado, tens de seguir a regra do menos é mais. Opta por mobiliário de linhas direitas por exemplo. A geometria dá um toque contemporâneo e requintado aos ambientes. 

The Home Staging Factory
The Home Staging Factory

 

A magia da falta de cor

As cores também ajudam. Lá por ser estilo minimalista não penses que basta utilizar apenas uma cor ou misturar duas como o vermelho e o preto. Para conseguires um ambiente sofisticado nada de cores berrantes nem misturas de cores opostas. O ideal é escolher tonalidades neutras como os brancos, preto, cinzas ou beges. 

The Home Staging Factory
The Home Staging Factory

Leve e simples

Às vezes as coisas mais simples são as que se destacam mais e as mais fáceis e baratas de concretizar. Mais uma vez pensa na função do objeto e retira tudo o que não é essencial. Tal como um escultor retira toda a pedra à volta da sua obra de arte.

The Home Staging Factory
The Home Staging Factory

Espaço de inspiração

Se tens uma casa muito grande ou não tens dinheiro para mobilar todo o espaço aproveita uma assoalhada e cria, por exemplo, uma instalação como se tivesses uma galeria de arte em casa. Outra opção é criares uma sala para meditação ou leitura em que basta um tapete, uma cadeira e boa iluminação.

The Home Staging Factory
The Home Staging Factory

 

Materiais de baixo custo

The Home Staging Factory
The Home Staging Factory

Não penses que apenas se conseguem ambientes sofisticados com aplicação de materiais de gama alta. Em vez de mármore utiliza, por exemplo, cimento nas paredes da casa de banho, em vez de azulejos experimenta tapar uma parede com estuque e em vez de uma cabeceira de cama sofisticada e estofada cobre a parede com um papel de parede.