Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Truques para pintar a casa como um profissional: a importância de escolher a cor certa

Pintar paredes não é uma tarefa fácil. Trata-se de um trabalho minucioso que requer paciência e esforço.

Photo by andrew jay on Unsplash
Photo by andrew jay on Unsplash
Autor: Redação

Quando queremos dar um aspeto novo à casa ou até mesmo apenas a um compartimento, a primeira coisa que nos ocorre é uma pintura nova, e isto acontece por várias razões: é o trabalho que apresenta um resultado mais rápido e também é um dos trabalhos de remodelação/obras mais económico a ser realizado. E a verdade é que, com um pouco de cor, é possível obter resultados fantásticos e imediatos.

Com a ajuda da MELOM*, empresa especializada e líder em remodelação de imóveis, mostramos-te alguns truques que ajudarão, seguramente, a escolher a cor certa para as paredes lá de casa. Mas antes disso, há cuidados aos quais é preciso prestar atenção.

Cuidados a ter antes de pintar

Pintar paredes pode, à primeira vista, parecer um projeto bastante simples de executar, mas não nos deixemos enganar: para além de paciência e esforço físico, a atividade de pintar paredes tem “alguma ciência” e requer determinados cuidados antes de procedermos realmente ao trabalho propriamente dito.

O primeiro trabalho a realizar é corrigir todas as imperfeições que existem, este primeiro passo é de extrema importância para termos um resultado final perfeito, sendo importante ter em conta que nenhuma pintura irá camuflar fendas, buracos ou problemas de humidade se estes não forem devidamente tratados.

Raw Pixel on Unsplash
Raw Pixel on Unsplash

Se a parede que vais pintar apresentar buracos ou pequenas fendas, a primeira coisa a fazer é preenchê-las com massa, até que com a passagem de uma lixa os mesmos fiquem impercetíveis. É importante neste processo respeitar o tempo de secagem da massa para que o resultado seja o melhor possível.

Se a parede estiver em muitas más condições pode ser necessário a substituição de estuque, isto é muito frequente acontecer quando persistem problemas de humidade. Após corrigidas todas as imperfeições é altura de começar a dar nova cor à superfície. Para isso é aconselhado a aplicação de uma camada de primário de látex com um rolo (deves recorrer a uma trincha para os acabamentos nos rebordos das paredes), é importante que a aplicação seja feita em faixas cruzadas, procurando unir as juntas entre cada passagem.

Caso existam problemas de humidade ou fungos é vital limpar devidamente a superfície. Existem produtos no mercado específicos para estas duas patologias, se este problema for muito presente podes considerar o uso de uma tinta plástica e aditivo anti-fungo.

Agora sim, a nossa superfície está pronta a receber a sua nova cor.

Escolha da cor

O processo de escolha de uma nova cor não é tão simples quanto possa parecer. Além de ser a base e o elemento decorativo com mais presença numa divisão, está provado que as cores têm o poder de estimular o nosso cérebro de diversas maneiras diferente e exercem uma influência sobre as pessoas que estão numa determinada divisão podendo transmitir sensações como bem-estar, inquietude, nervosismo, calma e alegria.

Podem também ajudar a escurecer ou clarear um espaço. Por isso, em casa, é fundamental que as cores das paredes tenham em conta, além dos gostos pessoais dos moradores, a sensação que pretendemos que seja transmitida naquela divisão. Por exemplo, seguindo a psicologia das cores aconselha-se que em espaços em que se pretenda estimular a concentração se opte pelos tons azuis visto ser o tom que incentiva a produtividade. Além disso, é um tom que mesmo aplicado em áreas de grandes dimensões não se torna cansativo, dando sempre a sensação de limpeza e maresia.

Photo by Sven Brandsma on Unsplash
Photo by Sven Brandsma on Unsplash

Um dos tons mais escolhidos em todas as moradias é sem dúvida o branco, que está inequivocamente associado a valores de paz, clareza, tranquilidade e sobretudo neutralidade. Contudo é uma cor que transmite também alguma frieza, por isso, a conjugação com uma cor mais quente pode resultar muito bem quando queremos, por exemplo, a sensação de conforto térmico.

Photo by Samantha Gades on Unsplash
Photo by Samantha Gades on Unsplash

O vermelho apesar de ser uma cor quente e de transmitir energia e glamour, quando usado em excesso pode provocar nervosismo, por isso deve ser usado com precaução.

Photo by freestocks on Unsplash
Photo by freestocks on Unsplash

*Este artigo contou com o apoio técnico da MELOM Bracara (Braga)