Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Como travar o risco de contágio de Covid-19 na volta à normalidade

Situação epidemiológica de Portugal permite avançar para o levantamento de restrições. Mas há comportamentos a evitar.

risco de contágio de Covid-19
Foto de cottonbro en Pexels
Autor: Redação

À medida que se caminha para um cada vez maior desconfinamento e aligeiramento das restrições, os cidadãos têm cada vez mais responsabilidade. Os especialistas recomendam que, apesar da situação epidemiológica de Portugal ser favorável, devem ser adotados comportamentos individuais, sociais e instituicionais cautelosos e evitar-se os mais arriscados. Com o regresso às aulas e de muitas pessoas aos escritórios, e com a vida a retomar uma maior normalidade, com idas ao ginásio, cinema e outras atividades, importa saber como se pode calcular o risco de ficar infetado com Covid-19.

O grupo de especialistas liderado pela pneumologista Raquel Duarte, segundo escreve o Público, sugere que se levante o peso da obrigatoriedade das medidas restritivas, passando assim para a responsabilidade cívica de cada um.

risco de contágio de Covid-19
Foto de SHVETS production en Pexels

A equipa de especialistas ressalva, no entanto, que existe um conjunto de medidas gerais que devem estar sempre em vigor, entre as quais:

  1. a ventilação e climatização adequada dos espaços fechados, a auto-avaliação de risco (individual e organizacional);
  2. a utilização das medidas de proteção individual e organizacional de acordo com a avaliação de risco (que pode incluir a exigência do certificado ou teste, definição de lotação ou de uso de máscara, definição de circuitos de circulação, entre outras).

O Público fez ainda um apanhado sobre os comportamentos que aumentam ou diminuem o risco contágio, que agora citamos.

O que aumenta o risco de ficar infetado?

Ter a vacinação incompleta aumenta o risco de infeção pelo novo coronavírus, assim como o contacto regular com crianças e/ou pessoas que também não foram vacinadas contra a Covid-19.

Por outro lado, frequentar espaços com aglomeração de pessoas ou sem uma ventilação adequada, também aumenta o risco de ficar infetado. 

risco de contágio de Covid-19
Foto de Wendy Wei en Pexels

Estes comportamentos de risco são, ainda, acentuados pela existência de comorbilidades que possam causar uma predisposição para formas graves da doença.

O que aumenta a segurança contra o vírus?

Por outro lado, ter a vacinação completa garante uma maior segurança contra o SARS-CoV-2 e, consequentemente, diminui o risco de doença. 

Evitar espaços públicos com aglomeração de pessoas, circular sobretudo por espaços abertos com poucas pessoas e ter um círculo social reduzido são outros comportamentos sociais aconselhados pelo grupo de peritos para evitar a infeção.

Além disso, torna-se impreterível:

  • manter regularmente as medidas de distância em relação a outras pessoas;
  • utilizar a máscara com regularidade (sobretudo em ambientes fechados) no contacto com pessoas fora dos círculos familiar e social restrito ou em situações onde a distância não é fácil de cumprir;
  • minimizar o contacto com pessoas com sintomas sugestivos de Covid-19. 
  • risco de contágio de Covid-19
    Foto de Anna Shvets en Pexels
Etiquetas
Pandemia