Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Saúde mental no pós-Covid: como preparar o regresso dos trabalhadores às empresas

Dados da American Psychological Association (APA) mostram várias mudanças comportamentais prejudiciais à saúde.

Photo by Külli Kittus on Unsplash
Photo by Külli Kittus on Unsplash
Autor: Redação

Alguns trabalhadores estão a regressar muito lentamente aos escritórios. Trazem consigo cicatrizes emocionais, depois de mais de um ano repleto de medo, incerteza, isolamento e, em muitos casos, tristeza. A missão de fazer com que as coisas voltem “ao normal” não será tarefa fácil para as empresas, isto porque os danos provocados pela Covid-19 ainda deverão ser sentidos durante algum tempo nos locais de trabalho, segundo a Bloomberg.

"Estamos a ver números bastante alarmantes", diz Vaile Wright, diretora sénior de inovação em saúde da American Psychological Association (APA), que lidera a investigação 'Stress in América', citada pela publicação. “Os corpos e mentes das pessoas simplesmente não estão no lugar certo como estavam há um ano”, sublinha.

Os dados da APA mostram várias mudanças comportamentais prejudiciais à saúde, nomeadamente ao nível do sono, aumento do consumo de álcool e baixa atividade física. Além disso, cerca de 61% dos adultos relatam ganho ou perda de peso indesejado . “Todas os estudos que estão sair agora estão realmente alinhados”, explica Wright, acrescentando que “as taxas de depressão, ansiedade, uso de substâncias e suicídio aumentaram.”

A APA e outros especialistas recomendam uma alimentação saudável, exercício, boas noites de sono e relações sociais abundantes, para construir uma "base sólida" que permita às pessoas suportarem a pressão diária - como a que existe no escritório. Essa base, escreve a Bloomberg, normalmente depende de rotinas: as horas de dormir e acordar devem ser as mesmas e deve existir regularidade no exercício e no horário das refeições.

Cathleen Swody, psicóloga organizacional da consultora Thrive Leadership, diz que os líderes das empresas precisam de estar cientes de que muitos funcionários estão, pela primeira vez na vida, a enfrentar uma onda de excessos, ansiedade, depressão ou até mesmo o uso de substâncias. "Vai variar de pessoa para pessoa, dependendo das suas circunstâncias pessoais e experiências de pandemia", adianta a especialista. "Alguns estarão ansiosos para voltar ao escritório, e outros terão muita resistência porque simplesmente não estão preparados para isso."

Os especialistas ouvidos pela Bloomberg concordam que, à medida que os trabalhadores voltam, os patrões devem facilitar o acesso a recursos de bem-estar. As empresas devem financiar aulas de ginástica online e programas de saúde mental, incluindo gestão de stress, acesso a terapeutas e programas de assistência aos funcionários. As estratégias para lidar com a pandemia podem ainda incluir conversas em vídeo ao ar livre e "caminhadas e conversas" com profissionais de saúde mental.