Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Taxas de juro

Últimas notícias sobre "Taxas de juro" publicadas em idealista.pt/news

Prestação da casa desce em janeiro para contratos com Euribor a 3 e 6 meses

A prestação paga pelos clientes ao banco pelo crédito à habitação vai descer em janeiro de 2021 nos contratos indexados à Euribor a três e seis meses face às últimas revisões, segundo a simulação Deco/Dinheiro&Direitos. As taxas Euribor estão em terreno negativo desde 2015 e, em dezembro de 2020, a média da taxa Euribor a seis meses foi de -0,519% e a média da taxa a três meses de -0,538%.

Notícia sobre:

Taxa de juro do crédito à habitação desce em novembro – continua abaixo de 1%

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação desceu 1,4 pontos base (p.b) para 0,918% em novembro – estava em 0,932% no mês anterior. Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu de 0,914% em outubro para 0,857% em novembro. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 270 euros, fixando-se em 54.915 euros, e a prestação média subiu um euro para os 228 euros.

Notícia sobre:

"Os bancos continuam desejosos de dar crédito à habitação e a preços muito competitivos"

Afinal, qual foi o impacto da Covid-19 no mercado de crédito à habitação? E como se perspetiva o ano de 2021 e os seguintes, tendo em conta o atual contexto de crise social e económica devido à pandemia? Para responder a isto, e muito mais, entrevistámos o especialista Juan Villén. "O confinamento, numa primeira fase, implicou uma travagem no mercado imobiliário e, como consequência, no de crédito à habitação. Depois de a liberdade de movimentos ter sido permitida, ainda que de forma limitada, o mercado reativou-se e agora mesmo está a funcionar", começa por analisar o diretor do idealista/créditohabitação. 

Notícia sobre:

Contratos de crédito à habitação voltam a fixar taxas abaixo de 1%

As taxas de juro implícitas nos créditos à habitação regressaram, em setembro, a valores por debaixo de 1%, tanto nos novos contratos, como no conjunto dos empréstimos existentes. Os juro implícitos nos financiamentos realizados nos últimos três meses para a compra de casa caiu para 0,996%, face aos 1,003% fixados em agosto. Já no conjunto dos contratos foi de 0,966% em setembro, 0,1 pontos base abaixo dos 0,967% registados no mês anterior, tal como mostram os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), publicados esta terça-feira, dia 20 de outubro de 2020.

Notícia sobre:

Bancos devolvem milhões às famílias com crédito à habitação – e tudo por causa dos juros negativos

CGD, BPI e Novo Banco já devolveram cerca de 4,4 milhões de euros às famílias desde julho de 2018, ano em que entrou em vigor em Portugal uma lei que obriga a banca, perante taxas de juros negativas, a pagar esse diferencial negativo aos clientes dos contratos em que o cálculo resulte em juros abaixo de zero. BCP, Santander, Montepio e Crédito Agrícola não revelam os montantes devolvidos.

Notícia sobre:

"Guerra dos spreads" ao rubro: BPI e Crédito Agrícola entram na “corrida”

A guerra de spreads no crédito à habitação soma e segue – e tudo para tentar atrair clientes e dar mais empréstimos para a compra de casa em Portugal. Os mais recentes candidatos, que agora também se juntaram à “corrida”, são o BPI e o Crédito Agrícola: ambos decidiram rever em baixa as suas margens mínimas para 1,1% nos preçários de outubro, segundo a informação que consta nos sites dos respetivos bancos.

Notícia sobre:

Covid-19 reanima “guerra dos spreads" no crédito à habitação: Bankinter lança taxa abaixo de 1%

Antes da chegada da Covid-19 a Portugal, a guerra de spreads no crédito à habitação estava ao rubro, alimentada pela política de baixas taxas de juro do BCE ao longo dos últimos anos, com o mercado a caminhar cada vez mais para ofertas de taxas de 1% . Agora, e em plena pandemia, os bancos voltam a dar novos estimulos para tentar atrair clientes e dar mais empréstimos para a compra de casa em Portugal. O espanhol Bankinter deu o tiro de partida em plena crise económica, atualizando o preçário deste tipo de financiamentos para 0,95%, sendo o primeiro banco a baixar a fasquia dos 1% nos últimos anos. E o que vão agora fazer os concorrentes? A Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor acredita que a "guerra dos spreads" está de novo acesa. 

Notícia sobre:

Bancos voltam a dar mais empréstimos para a compra de casa

Os empréstimos para a compra de casa em Portugal estão a ganhar novo fôlego, apesar dos efeitos colaterais da pandemia da Covid-19. Segundo os dados mais recentes do Banco de Portugal (BdP), divulgados esta quarta-feira, 2 de setembro de 2020, em julho, a banca concedeu 931 milhões de euros de crédito à habitação, mais 98 milhões face a junho, mês em que a banca emprestou 833 milhões às famílias.  

Notícia sobre: