Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Alojamento local: criados 78 novos postos por dia no país em cinco meses

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Mais de 12.000 alojamentos locais (apartamentos, moradias e estabelecimentos de hospedagem/hostels) foram legalizados nos últimos seis meses, para receber turistas em Portugal. Ainda assim, há 50.000 camas ilegais, o que equivale a 10.000 alojamentos.

Segundo o Jornal de Notícias, que se apoia em contas da Associação de Hotelaria de Portugal (AHP), há muitas casas e apartamentos de risco anunciados nos jornais e na internet que fogem ao Fisco e que muitas vezes são usados para burlar os mais crédulos, como aconteceu com 35 famílias que foram enganadas, por um burlão, com umas férias no Algarve. É no sul do país que estão “a maioria das 50.000 camas ilegais, o equivalente a cerca de 10.000 apartamentos e casas”, revelou o presidente da AHP, Luís Veiga.  

Entre 27 de novembro de 2014, quando entrou em vigor o novo Regime Jurídico do Alojamento Local, e 30 de abril, registaram-se 12.027 alojamentos locais nas câmaras municipais e no Balcão do Empreendedor, o que dá uma média de 78 por dia.

Mais de metade desses registos foram efetuados no distrito de Faro (55%). Seguem-se Lisboa (22%) e Porto (7%). A maioria são apartamentos (7.552), mais do dobro das moradias (3.588) e oito vezes mais do que os estabelecimentos de hospedagem (887). Entre estes últimos, há 130 hostels, concentrados sobretudo nos distritos de Lisboa (47), Faro (24) e Porto (18).

Citado pela publicação, Luís Veiga disse tratarem-se de “números impressionantes”, que “na prática significam a existência de 100.000 camas no alojamento local”. “Ou seja, são já metade das camas existentes nos hotéis do continente e ilhas, de uma a cinco estrelas, que rondam as 200.000, sendo 25% do total de camas, que se aproximam das 400.000”, explicou.

O responsável adianta que já há no país cerca de 900 estabelecimentos de hospedagem: “Muitos são hostels e outros ainda não são porque não cumprem todos os requisitos, mas na prática funcionam como hostels, com 10, 20, 30 quartos. Isto quer dizer que já há quase tantos hostels como hotéis em Portugal. Há cerca de 1.100 hotéis e 160 aparthotéis”.

Para Luís Veiga, muitos destes alojamentos vão começar, mais cedo ou mais tarde, a fechar. “A concorrência é de tal forma feroz que já existem vários alojamentos na mesma rua e a preços que chegam a 10 e 15 euros por noite”, referiu.