Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Turismo cultural: monumentos, museus e palácios rendem quase um milhão por mês

Gtres
Gtres
Autor: Redação

As receitas dos monumentos, museus e palácios subiram 60% no primeiro semestre face ao mesmo período do ano passado, atingindo quase seis milhões de euros – cerca de um milhão por mês. Os estrangeiros representam dois terços dos visitantes.

Segundo a Lusa, que se apoia em dados relativos aos espaços culturais sob a tutela da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), de janeiro a junho deste ano, estes mesmos espaços somaram mais de 1,8 milhões de visitantes, que “renderam” 5,7 milhões de euros, mais dois milhões que no período homólogo.

A maioria dos visitantes não eram portugueses – dois em cada três visitantes – e o subdiretor-geral do Património Cultural, Samuel Rego, não hesita em afirmar que o turismo cultural está a aumentar e a incrementar o turismo geral: “De certeza que isso já acontece. O potencial de crescimento do turismo cultural é muito grande, não só pela componente artística, mas porque a marca Portugal é associada a uma carga histórica perene. E isso, conjugado com essa busca desse perfil do turista com interesses culturais, só nos faz sentir otimistas em termos de públicos”.

De acordo com o responsável, que acumula funções de diretor interino do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, o aumento do turismo cultural é justificado, também, com o que chama de “singularidades” de Portugal. “[O Museu Monográfico de] Conímbriga, o Museu Nacional Soares dos Reis, o Convento de Cristo em Tomar, a Fortaleza de Sagres... São tudo a prova de que nós temos singularidades. Em termos de sociedade, Portugal também se comporta como tal: nós gostamos do nosso património, há um interesse generalizado em promover a Torre de Belém no exterior. As escolas, as universidades têm feito esse trabalho, há uma grande convergência e é uma alavanca para a economia nacional”, referiu.

Só o Museu Nacional dos Coches pode receber este ano 300.000 pessoas, mais 100.000 que no passado, metade estrangeiras. O Mosteiro dos Jerónimos recebeu já este ano quase 500.000 pessoas, dois terços estrangeiras, escreve a Lusa.