Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

TAP já está nas mãos dos chineses, além dos brasileiros

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

O grupo chinês Hainan Airlines completou a compra de uma participação de 23,7% na Azul Linhas Aéreas Brasileiras. Por sua vez, a Azul é a empresa de David Neeleman que, com o português Humberto Pedrosa, ganhou a privatização da TAP.

O negócio, que ficou concluído por 450 milhões de dólares (403 milhões de euros), torna a Hainan no maior acionista da Azul, segundo o comunicado difundido pela empresa chinesa. 

O consórcio chinês, com sede na ilha de Hainan, na China, opera nos setores de aviação, indústria, turismo, logística e financeiro e, no âmbito desta operação, compromete-se a cooperar com a Azul em áreas como partilha de códigos de voos, abertura de novas rotas, marketing e tarifas de transporte, refere o comunicado.

30 milhões de euros para ficar com 25% da TAP

“Consideramos a Azul um parceiro forte e a longo prazo para a HNA expandir-se e investir na América Latina”, afirmou Adam Tan, chefe executivo da Hainan Airlines, na mesma nota.

De acordo com o Negócios, em julho passado, a maior companhia aérea privada chinesa desembolsou 30 milhões de euros na compra de 25% de obrigações convertíveis da TAP. No mesmo mês anunciou a aquisição, por 1,5 mil milhões de dólares (1,35 mil milhões de euros), da Gategroup Holding AG, a segunda maior empresa do mundo de catering especializado para o sector da aviação.