Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Avaliação bancária das casas fecha 2020 em novo máximo: 1.156 euros por metro quadrado

Valor mediano no conjunto do ano fixou-se em 1.129 euros por m2, o que representa um aumento de 7,7% face ao ano anterior.

Imagen de Nattanan Kanchanaprat en Pixabay
Imagen de Nattanan Kanchanaprat en Pixabay
Autor: Redação

Em plena pandemia da Covid-19, o valor pelo qual os bancos avaliam os imóveis para efeitos de concessão de crédito à habitação tocou vários máximos em 2020. E o mesmo voltou a acontecer no final do ano, registando-se um recorde no mês de dezembro, quando o indicador de avaliação bancária das casas se fixou em 1.156 euros por metro quadrado (m2), e depois de duas subidas nos meses anteriores, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). Isto permite concluir que o valor mediano da avaliação bancária no conjunto de 2020 situou-se em 1.129 euros por m2, o que representa um aumento de 7,7% face ao ano anterior.

Face a novembro, no último mês de 2020 registou-se um aumento de 12 euros (1%), sendo que, em comparação com dezembro do ano anterior, o valor médio destas avaliações subiu 6%, de acordo com os dados pelo INE revelados esta quinta-feira, dia 28 de janeiro de 2021.

No que respeita à evolução intermensual, foi nos apartamentos que se verificou a maior subida em dezembro passado (1,1%), considerando os bancos que este tipo de imóveis valiam 1.266 euros por m2. Já as moradias foram avaliadas em 957 euros por m2 em dezembro, uma subida de 0,3% quanto ao mês anterior. Comparando com os valores referentes a dezembro de 2019, verifica-se que os apartamentos estão 7% mais valorizados, enquanto as moradias ficaram a valer mais 3,7%.

Em termos anuais, no caso dos apartamentos, o valor mediano de avaliação bancária ficou-se pelos 1.235 euros por metro quadrado em 2020 (+8.8% face ao período homólogo), com a avaliação das moradias a ser mais suave, com 949 euros por metro quadrado (+5,6% em comparação com 2019).

Tendo por base os dados do INE, o maior aumento registado em dezembro de 2020, face a novembro, registou-se na Área Metropolitana de Lisboa (1,2%), com a redução mais acentuada a ser observada no Algarve (-1,9%). Em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor mediano das avaliações cresceu 6,0%, registando-se a variação mais intensa no Norte (6,4%) e a menor no Alentejo (1%).

Considerando o conjunto do ano de 2020, a tendência de subidas verificou-se em todas as regiões do país, aponta o INE. A Área Metropolitana de Lisboa e o Norte apresentaram as maiores subidas, enquanto no Alentejo se verificou o aumento menos expressivo.

Na Área Metropolitana de Lisboa, os valores aumentaram 8,5% em relação a 2019, enquanto no Norte a subida foi de 8,4%. Já no Alentejo, os valores cresceram apenas 1,7%.

Segundo o INE, em dezembro o número de avaliações bancárias ascendeu a cerca de 26 mil – 16.862 de apartamentos e 9.546 de moradias -, mais 4,4% que no mesmo período do ano anterior. Em comparação com novembro, foram tidas em consideração menos 835 avaliações bancárias, o que corresponde a uma descida de 3,1%.