Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Deco Alerta: Caíste numa armadilha de vendas porta a porta? Fica a saber o que tens de fazer

Gtres
Gtres
Autor: Redação

São muitos os consumidores que caem nas armadilhas das vendas ao domicílio. No artigo de hoje da rubrica semanal Deco Alerta, destinada a todos os consumidores em Portugal e assegurada pela Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor para o idealista/news, explicamos-te o que deves fazer e como deves agir para resolver este problema. 

Envia a tua questão para a Deco, por email para decolx@deco.pt ou por telefone para 00 351 21 371 02 20.

Na semana passada, a minha mãe, de 81 anos, foi abordada à porta por vendedores de uma empresa de energia. Disseram-lhe que eram da companhia de eletricidade e pediram-lhe para ver uma das suas faturas. A mãe mostrou a fatura e foi respondendo a todas as perguntas que lhe foram colocando. Acabou por assinar um documento, desconhecendo que era um contrato, que lhe foi apresentado como sendo apenas um comprovativo da presença daqueles vendedores. Só quando recebeu a fatura, no mês seguinte, é que percebeu o que tinha acontecido e pediu a ajuda dos filhos. Como podemos resolver este problema?

A situação que nos contas é muito comum. A Deco recebe anualmente mais de quatro mil reclamações de consumidores que caem nas armadilhas das vendas ao domicílio, ou como vulgarmente conhecemos vendas porta a porta. Os consumidores ficam amarrados a um serviço que não pediram, sobretudo os mais vulneráveis, como é o caso da tua mãe.  

Entendemos do teu relato que os 14 dias do prazo de livre resolução do contrato já foram ultrapassados. Assim, para resolver este problema, aconselhamos que te dirijas à Deco, presencialmente ou por escrito, solicitando a nossa mediação jurídica. A nossa taxa de sucesso na resolução destes caso é boa, cerca de 80%, mas o consumidor, sobretudo os mais idosos, por si só, não consegue resolver estes conflitos. 

Para evitar estes contratos indesejados e com valores irrecuperáveis, lançamos exatamente hoje (dia 13), e antecipando o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor – 15 de março –, a campanha vendas à minha porta NÃO! Queremos informar todos os consumidores do que devem exigir aos vendedores ao domicílio, obrigando-os a prestar-lhe os esclarecimentos que entender ou simplesmente a retirar-se da sua porta.

Para que a informação chegue facilmente a todos disponibilizamos um vídeo (online no nosso site – www.deco.proteste.pt) e um “pendurante” (imagem em baixo e que pode ser descarregada no nosso site) que reforçam a importância de estares informado quando abrires a porta a este tipo de vendas.

São os consumidores vulneráveis que mais nos preocupam, pois não têm sequer capacidade para reclamar e pedir apoio.

Informa-te e solicita a nossa intervenção: Para bom consumidor, meia palavra NÃO basta!