Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Afinal, quanto vale a Eurovisão para Portugal em termos económicos e de imagem?

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Há um ano a Europa rendeu-se à música de Salvador Sobral. E agora a Eurovisão rendeu-se a Portugal. Alojamentos esgotados, restaurantes cheios, comércio ao rubro. Lisboa está praticamente “esgotada”. O evento chegou e trouxe com ele milhares de pessoas. Quanto vale, afinal, a Eurovisão?

É difícil estimar o real impacto que o festival da Eurovisão terá para Portugal. Não é pouco, isso parece certo. E não estamos a falar apenas de retroatividade económica, estamos a falar também da projeção do país.

"A promoção de Portugal é incomensurável e será de difícil monitorização no curto prazo. Estamos a mostrar um Portugal acolhedor, moderno e que sabe fazer as coisas (...) o retorno disto não existe", disse José Esteves, diretor-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), citado pelo Notícias ao Minuto. Segundo José Esteves, o impacto económico poderá aproximar-se da centena de milhões de euros.

Quanto custa dormir em Lisboa?

A taxa de ocupação dos alojamentos turísticos na capital, por exemplo, já supera os 95%. Em causa estão os dados do estudo de ocupação e preços realizados pela Rentalia, empresa que pertence ao grupo Idealista. Entre 8 de 13 de maio a taxa de ocupação de alojamentos para turistas é de 95,5%. Quanto a preços, o valor médio da estadia de uma noite nos espaços disponíveis supera os 60 euros por pessoa.

O preço médio dos alojamentos em Lisboa para o fim de semana da final do Festival Eurovisão da Canção – que realiza no próximo sábado (12 de maio) – é 41,9 euros por pessoa/noite. Porém, analisando apenas os alojamentos turísticos disponíveis, o preço sobe 44,6%, até aos 60,6 euros por pessoa/noite, segundo o estudo. 

Certo é que todas as unidades hoteleiras, restauração e comércio estão a retirar benefícios. "Há unidades junto ao Altice Arena mais cheias, mas temos hotéis na Grande Lisboa, Cascais, Sintra e Margem Sul que estão também a aproveitar este fenómeno", concluiu José Esteves.