Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lisboa e Porto gastam mais de um milhão em luzes de Natal (mas menos que antes da crise)

Sabri Tuzcu/Unsplash
Sabri Tuzcu/Unsplash
Autor: Redação

As luzes de Natal já estão acesas um pouco por todo o país, com as ruas e praças das principais cidades a encherem-se de iluminação para celebrar a época e atrair mais turistas. No duelo Lisboa vs Porto, a capital destaca-se: vai gastar 800 mil euros, quatro vezes mais que o Porto, que espera desembolsar 210 mil euros nas iluminações. Ainda assim, os gastos não superam os níveis pré-crise.

Passados os anos de crise e austeridade, em que foi preciso apertar “os cordões à bolsa” e pôr um travão aos gastos, as cidades ganharam novo fôlego, decidindo aumentar o investimento para iluminar o Natal, ainda que muito longe dos níveis pré-crise.

Recorde-se que, em 2011, Lisboa não teve iluminações. Substituiu-as por sete instalações artísticas que custaram 150 mil euros. Foi em 2009 que a autarquia mais investiu, gastando mais de um milhão de euros para dar brilho às ruas da capital. Mas nos anos seguinte à crise, e até 2015, a autarquia mal ultrapassou a fatura dos 300 mil euros. Só em 2016 voltou a dar o salto, ultrapassando novamente a fasquia dos 700 mil euros.

Também no Porto se sentiram os efeitos do furação instabilidade e, apesar de o número de ruas decoradas estar a aumentar desde 2012, a autarquia ainda não conseguiu voltar a decorar todas as 82 ruas que enfeitou em 2009, ano em que gastou 265 mil euros em luzes. 2011 foi o pior ano para o município, que apenas desembolsou 37 mil euros para enfeitar o Natal. A curva ascendente e o regresso aos três dígitos de investimento só se efetivaram em 2015.