Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Tudo o que é preciso saber sobre a Libra, a moeda digital do Facebook

Con Karampelas/Unsplash
Con Karampelas/Unsplash
Autor: Redação

O Facebook anunciou a criação de uma criptomoeda, a Libra, e de uma carteira eletrónica para a guardar, a Calibra. Deverão estar prontas no próximo ano e o objetivo é processar pagamentos e transferências online a partir de aplicações como o Messenger e o WhatsApp, sem depender dos bancos tradicionais. 

A rede social não vai gerir diretamente a nova moeda digital, escreve o Público, salientando que a responsabilidade vai para uma associação de 28 empresas e organizações não governamentais, que inclui empresas de pagamentos como o PayPal, a Mastercard e a Visa. Integram ainda a associação empresas como a Uber, o Spotify e a loja de roupa online Farfetch (que tem boa parte das operações em Portugal). 

O jornal espanhol Cínco Días elaborou um artigo no qual faz perguntas e dá respostas sobre a nova criptomoeda. Estas são algumas das características da Libra:

Onde se pode adquirir a Libra?

Os utilizadores poderão adquirir a Libra nas casas de câmbio onde estará disponível. Também poderá ser comprada em aplicações que vão surgir no seguimento da moeda. 

Quando estará disponível?

Sri Shivanda, diretor de tecnologia do PayPal, disse que o projeto ainda é muito recente e que decorrem conversações com os supervisores de mercado, mas o programa deverá nascer no primeiro semestre do próximo ano. 

Qual é a finalidade da moeda?

“As pessoas podem usar as 'carteiras' para enviar ou receber pagamentos instantaneamente em todo o mundo, interagir com as lojas que aceitam a moeda e manterem o seu dinheiro seguro”, revelaram fontes do Facebook, citadas pelo jornal espanhol.

O que distingue a Libra das outras criptomoedas?

Ao contrário do criptomoeda mais popular do mercado, a Bitcoin, a Libra será apoiada por um cabaz de ativos subjacentes (por exemplo, outras moedas como o euro e o dólar). 

Quanto vai valer a libra?

A Associação Libra, responsável pelo desenvolvimento da moeda digital, fixou o valor da moeda em um dólar norte-americano por unidade, “podendo variar dentro de uma faixa estreita”.