Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Comissões bancárias sobem no primeiro semestre – ter cartão de débito é agora mais caro

Steve Buissinne/Pixabay
Steve Buissinne/Pixabay
Autor: Redação

A receita dos bancos está a aumentar à custa, em boa parte, das comissões pagas pelos consumidores. Só as cinco maiores instituições financeiras a operar em Portugal arrecadaram no ano passado mais de 1.800 milhões de euros com este tipo de receitas. Uma tendência – de aumento de receitas – que se verificou também no primeiro semestre deste ano. 

Entre janeiro e junho, os clientes bancários voltaram a ser confrontados com revisões em alta destes custos por parte de diversos bancos, escreve o ECO, apoiando-se em dados que constam na sinopse das Atividades de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal (BdP).

Os cartões de débito sofreram, de resto, a maior subida de preços, com o valor da anuidade a aumentar, em média, 16,66%. Uma subida que se deveu ao agravamento registado em três bancos – no Abanca, a comissão pela disponibilização do cartão de débito disparou 78,57%.

Segundo a publicação, no final de junho constatava-se uma grande disparidade no valor das comissões para este tipo de cartões, sendo que em termos medios a anuidade era de 16,85 euros. Havia, no entanto, havia quatro bancos que não cobravam nada por disponibilizar este meio de pagamento.

No que diz respeito às anuidades do cartão de crédito, aumentaram muito menos: subiram 1,1%, com o valor médio a situar-se nos 17,63 euros.

No segundo lugar do pódio dos maiores aumentos encontram-se os levantamentos ao balcão, com as comissões a aumentarem 6,17%, custando em média 3,94 euros. Mas no limite estas operações chegavam a custar 26 euros no final de junho, escreve o ECO. 

Também os custos de manutenção de contas bancárias cresceram, entre 1% e 2%, em média, nos primeiros seis meses do ano. No caso das contas tradicionais, o custo da manutenção subiu 1,02%, para passar a assumir um valor médio de 58,04 euros. 

Já as contas base, que incluem por um preço único vários serviços básicos, viram os custos aumentarem 1,94%, para uma média de 64,40 euros.