Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Comissões MB Way: Deco já recebeu mais de 19.200 reclamações

Photo by ROBIN WORRALL on Unsplash
Photo by ROBIN WORRALL on Unsplash
Autor: Redação

Começou por ser gratuita, mas rapidamente foi “assaltada” pela cobrança de comissões. Falamos da app MB Way, que permite fazer, por exemplo, transferências, dividir contas ou gerar cartões virtuais (MB Net). O Banco BPI foi o primeiro a cobrar pelas transferências, mas já não é único. Desde que as cobranças começaram – podem chegar aos 1,50 euros em alguns casos -, a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) já registou mais de 19.200 reclamações de clientes bancários, insatisfeitos com as novas regras.

Quando os bancos anunciaram que iriam começar a cobrar pelo serviço, a Deco lançou uma petição com o objetivo de pressionar o Banco de Portugal (BdP) a tomar uma atitude relativamente ao assunto. A associação lembra que o regulador “conhece os aumentos feitos sobre as comissões bancárias das transferências MB Way, mas que ainda não se pronunciou”.

A petição da Deco exige limites ao BdP e apela para que o valor da cobrança seja limitado. No documento, a associação pede uma comissão máxima de 0,2% por transferência MB Way, limites claros para os custos em todas as formas de pagamento (cartões ou eletrónicos), e “uma análise a esta prática dos bancos, que parecem ter encontrado nas comissões sobre o MB Way uma forma de contornarem a proibição de impor custos  aos serviços através do Multibanco”.