Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Marcelo pede mais crescimento económico: “Este que temos não chega”

O Chefe de Estado discursava no encerramento do Congresso da CIP - "Portugal: Crescimento ou estagnação? A resposta está nas empresas!".

Créditos: Web Summit / Flickr/Creative commons
Créditos: Web Summit / Flickr/Creative commons
Autor: Redação

Portugal precisa de mais crescimento económico sustentável, porque “este que temos não chega”. As palavras são do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que adverte para a necessidade de o país se preparar para eventuais cenários negativos, uma vez que os “infortúnios” podem chegar “mais cedo que o esperado”.

“Importa e importa muito haver mais e mais sustentável crescimento económico. Este que temos não chega", afirmou o chefe de Estado, no encerramento do Congresso da CIP - Confederação Empresarial de Portugal, que teve como tema "Portugal: Crescimento ou estagnação? A resposta está nas empresas!". O Presidente deixou alguns recados, referindo ser “insensato não apostar em metas mais ambiciosas”.

Durante o seu discurso, escreve a Lusa, Marcelo Rebelo de Sousa encorajou a CIP a constantemente "explicar a importância da iniciativa privada" e a empenhar-se num "trabalho conjunto" entre confederações patronais e sindicais, apontando a concertação social como "uma garantia de paz e de estabilidade social".

O Presidente da República considera que Portugal tem um "crescimento da economia claramente insuficiente" e precisa de "mais e mais sustentável crescimento económico", assim como de "melhor balança externa, mais acelerada correção de desigualdades - e, para tudo isso, maior produtividade e, portanto, maior competitividade".

"É preciso que as instituições, todas elas, saibam proporcionar condições de estabilidade política, de estabilidade financeira, de estabilidade fiscal, de estabilidade social" e ao Presidente da República compete "ser um fator vigilante de estabilidade", disse.