Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Adeus crise? Portugueses vão mais às compras e... gastam mais dinheiro

Portugueses vão às compras 56,9 dias por ano e gastam em média nas mesmas mais 3,2% que há um ano.

Pexels/Pixabay
Pexels/Pixabay
Autor: Redação

Os portugueses estão a ir às compras mais vezes e a gastar mais dinheiro nas mesmas. Segundo um estudo realizado pela Kantar para a Centromarca, divulgado esta quarta-feira (6 de novembro de 2019), a frequência com que os portugueses vão às compras aumentou em 2019 para 46,9 dias, assim como o valor gasto em cada uma dessas visitas às lojas (mais 3,2% face ao ano anterior).

“É a primeira vez, em quatro anos, que o aumento das duas variáveis ocorre em simultâneo”, refere a Centromarca, em comunicado. “[Ainda assim] a sensação de poupança associada a esses atos de compra é positiva, uma vez que no último ano os portugueses conseguiram poupar 141 euros face aos 126 euros de poupança média registada no ano anterior”, lê-se no documento, a que a Lusa teve acesso. 

Segundo o estudo, a banalização das promoções permitiu que os portugueses conseguissem comprar produtos com desconto em 68,7% das idas às compras, sem que o desconto médio tenha aumentado. Já o desconto médio das promoções recuou 1,4%.

As marcas de distribuição são, segundo o documento, as que mais beneficiam deste movimento, continuando a conquistar a confiança dos portugueses e a crescer nos territórios naturais das marcas de fabricantes.

É notório o esforço das diferentes cadeias de distribuição de dar maior visibilidade e importância às suas marcas. E isso observa-se com o reforço da comunicação e com a multiplicação de promoções desses mesmos produtos”, diz o diretor-geral da Centromarca, Pedro Pimentel.

A Centromarca – Associação Portuguesa de Empresas de Produtos de Marca – foi fundada em junho de 1994 e tem por missão criar para as marcas um ambiente de concorrência leal e intenso que encoraje a inovação e proporcione um máximo de valor aos consumidores. Conta atualmente conta com 51 associados que detêm mais de 1.100 marcas, que em conjunto representam um volume de vendas anual no mercado nacional da ordem dos 6.500 milhões de euros, empregando mais de 25 mil pessoas.