Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Portugal mantém economia desequilibrada e está prestes a ser ultrapassado pelo Leste

15 anos depois de entrarem na União Europeia, os 10 novos estados-membros têm quase o PIB per capita mais alto que o português.

Photo by Timon Studler on Unsplash
Photo by Timon Studler on Unsplash
Autor: Redação

O dia de ontem, 26 de fevereiro de 2019, ficou marcado por uma série de avisos a Portugal por parte de Bruxelas. Além de apontar o problema da falta de habitação acessível, a Comissão Europeia (CE) veio dizer que a economia portuguesa continua desequilibrada e que fez "progressos limitados" em 2019. Por outro lado, os técnicos deram a conhecer que os 10 países que entraram na União Europeia em 2004 cresceram de tal forma nos últimos 15 anos que estão prestes a ultrapassar Portugal no PIB per capita.

"Portugal fez progressos limitados na abordagem das recomendações específicas por país de 2019", pode ler-se no relatório da Comissão Europeia no relatório específico de Portugal em que analisa os desequilíbrios macroeconómicos, divulgado ontem. Avaliando quatro áreas em específico, a pior avaliação vai para a redução das restrições nas profissões altamente reguladas, um tema em que o Governo não fez nenhum progresso, tal como escreve o Jornal de Negócios.

Desta forma, os técnicos de Bruxelas concluem que Portugal continua este ano na lista dos países da União Europeia com desequilíbrios macroeconómicos, tal como a Alemanha, Irlanda, Espanha, Holanda, França, Croácia, Roménia e Suécia. A Grécia, Itália e Chipre estão no grupo dos países que têm desequilíbrios "excessivos", do qual Portugal já fez parte. A Bulgária foi o único país que deixou em 2020 de figurar na lista dos que têm desequilíbrios.

Portugal com pior desempenho macro que o Leste

Por outro lado, é dito que Portugal está a ser apanhado em termos económicos pelos 10 países maioritariamente do Leste europeu que entraram na União Europeia em 2004. É o PIB per capita (população), medido em paridades de poder de compra, o que permite comparar países com moedas e níveis de preços diferentes, que mostra essa evolução diferenciada, como explica o jornal noutra notícia.

Em 2000, Portugal, que entrou na UE em 1986, tinha um PIB per capita que correspondia a mais de 80% da média europeia. Nos 18 anos seguintes, o valor caiu abaixo desse nível, principalmente na crise, e já não recuperou significativamente, mantendo-se à volta dos 77%. Neste caso, crescer acima da média europeia nos últimos anos não foi suficiente para reverter esta tendência.O desempenho dos 10 países do alargamento de 2004 foi o oposto. Praticamente sem paragens, este grupo viu o seu PIB per capita cavalgar a média europeia de pouco mais de 50% para acima de 75% em 2018.

Em causa estão países como Chipre, Estónia, Letónia, Lituânia, Malta, Eslováquia, Eslovénia, Polónia, República Checa e Hungria. Estes três últimos países, ao contrário dos restantes, não fazem parte da Zona Euro.