Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Ir ao dentista com segurança - guia para que tudo corra bem

Dada a proximidade entre profissionais e utentes, há várias regras que é preciso respeitar no antes, durante e depois das consultas.

Photo by Michael Browning on Unsplash
Photo by Michael Browning on Unsplash
Autor: Redação

Ir ao dentista no pós-Covid será uma experiência em tudo diferente de antes, quer para os profissionais, quer para doentes. Dada a grande e necessária proximidade, as consultas podem ser potenciais fontes de transmissão do vírus e, por causa disso, a Direção Geral de Saúde (DGS) decidiu produziu um longo documento com várias normas de orientação para que todos os procedimentos sejam realizados com a maior segurança possível. O idealista/news preparou um guia, com base no documento oficial, com algumas notas gerais importantes, assim como as regras que será preciso respeitar antes, durante, e depois da consulta.

O documento da DGS começa por referir que não deve ser realizado nenhum atendimento presencial sem um prévio contacto por via remota (telefone fixo, telemóvel, e-mail, ou outro meio que permita a comunicação com o utente).

Além disso, deve ser atualizado o Plano de Contingência Covid-19, de acordo com a Orientação 006/2020 da DGS, com discriminação dos procedimentos específicos atribuídos a cada profissional trabalhador na clínica, consultório ou serviço e, como será a sua substituição caso alguém fique doente (p. ex.), definindo claramente quem circula nos diferentes espaços da área de trabalho e as tarefas de cada um. Todos os profissionais, acrescenta, devem ter a formação/informação necessária para agir de acordo com o plano de contingência.

Procedimentos Gerais

Os responsáveis pelas clínicas, consultórios ou serviços de Saúde Oral devem:

  • Garantir que todos os profissionais estão informados sobre o Plano de Contingência e sobre os respetivos procedimentos;
  • Disponibilizar informação ao utente sobre a adequada etiqueta respiratória, higienização das mãos e utilização de máscara, nomeadamente através de fixação de cartazes;
  • Disponibilizar máscara cirúrgica (se o utente não levar máscara própria) e solução alcoólica (SABA) à entrada do consultório, clínica ou serviço. A máscara deve ser usada dentro do espaço de sala de espera ou receção, só removendo quando estiver no gabinete de consulta;
  • Marcar previamente as consultas, de forma remota para evitar ter utentes em sala de espera;
  • Retirar da sala de espera as revistas, folhetos e outros objetos (máquinas de café, dispensadores de água, etc) que possam ser manuseados por várias pessoas;
  • Promover a renovação frequente do ar da sala de espera, preferencialmente com as janelas e as portas abertas;
  • Proteger com barreiras plásticas ou papel de alumínio descartáveis as superfícies mais expostas ao contacto com as mãos do gabinete de consulta (equipamento informático, pega do candeeiro, tabuleiro, painel de comando da cadeira, instrumentos rotativos, entre outros).

Procedimentos na consulta: antes

  • Explicar ao utente, quando for marcada a consulta, os procedimentos de controlo e prevenção de infeção que estão implementados, nomeadamente:

a. Desaconselhar a presença de acompanhante;

  • i. Se necessária a presença do acompanhante, este deve, preferencialmente, aguardar fora das instalações, ou então permanecer na sala de espera (com máscara cirúrgica colocada)
  • ii. Se o acompanhante tiver de entrar no consultório (por exemplo, quando o utente é menor de idade), deve permanecer sentado a mais de 2 metros de distância do equipamento dentário (com a máscara cirúrgica colocada).

 b. Se o utente se apresentar sem máscara cirúrgica, deve ser colocada uma à entrada, fornecida no local;

c. Explicar ao utente a necessidade de higienização das mãos com solução alcoólica disponível no local, à chegada e à saída;

d. Explicar ao utente a necessidade de distanciamento de, pelo menos, 2 metros das outras pessoas que possam estar presentes;

e. Explicar ao utente a necessidade de evitar tocar em superfícies desnecessariamente;

f. Explicar ao utente a preferência pelo pagamento através de meios que permitam evitar o contacto (por exemplo, pagamento eletrónico, terminal de pagamento automático contactless).

  • Promover a renovação do ar, preferencialmente pela abertura das janelas. Em caso de utilização de ar condicionado, esta deve ser feita em modo de extração e nunca em modo de recirculação do ar. O equipamento deve ser alvo de uma manutenção adequada (desinfeção por método certificado);
  • Desinfetar as superfícies, dando especial atenção às de toque frequente, de acordo com a Orientação 014/2020 da DGS;
  • Preparar antecipadamente todo o material que pensa vir a utilizar para evitar a circulação de pessoas e a abertura de gavetas;
  • Retirar todos os adereços, como anéis, pulseiras, colares, brincos e relógios para atender os utentes;
  • Manter as unhas naturais, curtas e limpas; não usar unhas artificiais ou outro tipo de extensores, verniz, gel, gelinho ou outros produtos nas unhas na prestação de cuidados aos utentes;
  • O clínico e o assistente dentário devem ter todo o equipamento de proteção individual (EPI) colocado, antes de entrar no gabinete.

Procedimentos na consulta: durante

  • Garantir que os objetos de uso pessoal não estão expostos durante a consulta e que são alvo de uma desinfeção regular;
  • Manter sempre a porta fechada do gabinete;
  • Evitar, sempre que possível, a realização de procedimentos que resultem na formação de aerossóis; 
  • Instruir o utente, antes de qualquer procedimento, a bochechar por 30 segundos com solução de peróxido de hidrogénio a 1%1 ou iodopovidona a 0,2%;
  • Utilizar a aspiração cirúrgica para diminuir a disseminação de aerossóis;
  • Dar preferência às radiografias extraorais, em detrimento das intraorais;
  • Dar preferência à sutura reabsorvível após as extrações;

Procedimentos na consulta: depois

  • Limpar e desinfetar imediatamente todas as superfícies e o ambiente de trabalho;
  • Fazer a renovação do ar do gabinete no final de cada consulta;
  • Ter precauções redobradas no manuseamento de modelos e moldes, assegurando a sua efetiva desinfeção; 
  • Seguir escrupulosamente todos os procedimentos universais de esterilização e desinfeção; 
  • Na realização dos procedimentos de desinfeção do consultório, após a consulta e no transporte do material utilizado para a sala de esterilização, o assistente dentário deve retirar o primeiro par de luvas e só retirar o restante EPI, após o acondicionamento de todo o material utilizado;
  •  Deitar todos os EPI e material descartável nos contentores de lixo contaminado (Tipo III ou Tipo IV);
  • Recolher todo o material utilizado e levar para a sala de esterilização.

Limpeza e Desinfeção

  • A limpeza e desinfeção de todas as superfícies fora do gabinete de consulta deve ser realizada com intervalos entre 1-2 horas;
  • A limpeza e desinfeção de todas as superfícies do gabinete de consulta deve ser realizada após cada consulta;