Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lay-off simplificado é a medida "preferida" pelos empresários para combater a crise

Em causa estão os dados do Observatório da Competitividade Fiscal 2020 da Deloitte.

Photo by Arisa Chattasa on Unsplash
Photo by Arisa Chattasa on Unsplash
Autor: Lusa

A maioria dos empresários portugueses considera que o lay-off simplificado é a medida mais relevante no combate à crise económica causada pela pandemia, segundo o Observatório da Competitividade Fiscal 2020 da Deloitte. O regime, que terminou em julho, acolhe 80% das preferências, “muito acima de outras ações, como as moratórias sobre os créditos à habitação e empresariais (40%) ou o incentivo à normalização da atividade (34%)”. As linhas de crédito também foram consideram insuficientes.

As medidas menos valorizadas pelos inquiridos foram o plano extraordinário de formação (5%) e as medidas de flexibilização do resgate de planos de poupança reforma (7%), segundo os dados da consultora. Na edição deste ano do Observatório, que introduz um novo capítulo devido aos impactos causados pela pandemia, conclui-se também que as linhas de crédito Covid-19 para apoio à atividade económica foram consideradas insuficientes ou muito insuficientes por 81% dos participantes no inquérito.

O inquérito que serviu de base a este estudo foi realizado em junho e julho e dirigido a um conjunto de empresas com sede fiscal em Portugal, tendo participado 115 empresas. No que diz respeito às medidas fiscais de apoio às empresas, a medida mais destacada pelos empresários foi a submissão de declarações periódicas de IVA com base nos elementos do e-fatura, com possibilidade de substituição futura sem penalizações, com 46% das respostas.