Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Poupança das famílias em máximos: sobe para 14,2% do rendimento disponível

Taxa de poupança das famílias atinge o valor mais alto das séries das contas nacionais do INE.

Poupança das famílias em máximos: sobe para 14,2% do rendimento disponível
INE
Autor: Redação

A taxa de poupança das famílias aumentou para 14,2% do rendimento disponível no primeiro trimestre de 2021, período de confinamento devido à Covid-19, atingindo o valor mais alto das séries das contas nacionais do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgou recentemente o instituto.

“No primeiro trimestre de 2021, a capacidade de financiamento das famílias aumentou 1%, para 7% do PIB (Produto Interno Bruto) e a taxa de poupança fixou-se em 14,2% (12,8% no trimestre anterior), atingindo-se em ambos os casos os valores máximos nas atuais séries de Contas Nacionais, refletindo sobretudo a redução de 1,7% do consumo privado”, lê-se no boletim do INE.

Segundo o instituto, a taxa de poupança das famílias, que atingiu, conforme já referido, 14,2% do rendimento disponível “foi consequência da redução de 1,7% da despesa de consumo (variação de -1,5% no trimestre anterior), que mais do que compensou a ligeira diminuição de 0,1% do rendimento disponível”.