Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Fisco faz mais escutas telefónicas e aperta o cerco à fraude e evasão fiscal

Gtres
Gtres
Autor: Redação

A Autoridade Tributária (AT) intensificou no último ano o recurso a escutas telefónicas para investigar suspeitas de fraude e evasão fiscal. Nesse sentido, em 2015, os vários órgãos de polícia criminal seguiram as conversas telefónicas de 15.441 alvos, um número que compara com 13.353 escutas realizadas em 2014. Ao todo, foram intercetadas as comunicações de 145 alvos, mais do dobro das escutas realizadas em 2014.

Segundo o Correio da Manhã, que teve acesso ao Relatório Anual de Segurança Interna, a entidade que mais escutas faz é a PSP (6.629), seguida pela PJ (5.672) e pela GNR (2.825).

A AT, que tem vindo a assumir protagonismo crescente na investigação de crimes de fraude fiscal, como a Operação Furacão, fez 145 escutas, bem mais que as 62 realizadas em 2014 e que as 51 feitas em 2013.