Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

CTT vendem outro edifício em Lisboa por mais de 10 milhões de euros

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

Depois de terem vendido no final de 2017 o antigo edifício sede, na Rua de São José em Lisboa, pelo valor de 25 milhões de euros, os CTT anunciaram agora a venda de um imóvel também na capital que lhes vai render 10,3 milhões de euros. Ambas as operações fazem parte do plano de reestruturação do operador postal até 2020, que prevê a venda de até 30 “ativos não estratégicos” (imóveis), sendo que a companhia tinha como objetivo inicial um encaixe à volta dos 13 milhões de euros.

"Os CTT – Correios de Portugal assinaram nesta data um contrato-promessa de compra e venda de um imóvel na propriedade da empresa sito na Rua da Palma, em Lisboa, em linha com a sua política de alienação de activos não estratégicos quando estejam reunidas as necessárias condições de mercado", anunciou a empresa em comunicado à CMVM, sem revelar a identidade do comprador.

A venda deste edifício - que integrava a antiga estação dos CTT do Socorro, uma das 22 lojas próprias encerradas pelo operador postal até março no âmbito do plano de reestruturação da empresa - foi fechada nos 10,3 milhões de euros, da qual vai resultar uma mais-valia de 8,5 milhões de euros e depois de impostos de 7,4 milhões, já que o impacto fiscal é de 1,1 milhões.

Além da loja, o edifício tinha uma série de andares desocupados, tendo o operador postal decidido fechar o espaço transferindo a atividade postal para um ponto de acesso na zona do Forno do Tijolo.

Os CTT já receberam 1 milhão de euros a título de sinal “devendo o remanescente ser pago aquando da outorga da escritura pública de venda definitiva, a qual deverá ter lugar no prazo máximo de 6 meses a contar desta data, encontrando-se apenas condicionada ao não exercício de direito de preferência na venda destes imóveis pelas autoridades administrativas que legalmente beneficiam de tal direito”, informa os CTT.