Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Correios

Últimas notícias sobre "Correios" publicadas em idealista.pt/news

CTT volta atrás e já não fecha balcões - até vai reabrir alguns

O novo presidente dos CTT, João Bento, garantiu no Parlamento que a empresa não vai fechar mais balcões e que até vai reabrir alguns, ao longo de 2019 e 2020. Reforçar a proximidade aos clientes é o objetivo.

Notícia sobre:

Portugal perdeu 524 estações ou postos de correio em dez anos

Há cada vez menos estações e postos de correios em Portugal. Uma afirmação facilmente comprovável com números: em 2016 existiam em Portugal 2.339 estações ou postos de correio, menos 524 que em 2006, o que representa uma diminuição de 18.3%.

Notícia sobre:

CTT vendem outro edifício em Lisboa por mais de 10 milhões de euros

Depois de terem vendido o antigo edifício sede, em Lisboa, pelo valor de 25 milhões de euros, os CTT anunciaram agora a venda de um imóvel também na capital que lhes vai render 10,3 milhões de euros. Ambas as operações fazem parte do plano de reestruturação do operador postal até 2020.

Notícia sobre:

Enviar cartas e encomendas fica mais caro na próxima semana. CTT sobem preços

Os preços para o envio de cartas e encomendas vão aumentar já na próxima semana. Os CTT – Correios de Portugal decidiram fixar novos valores a partir do dia 2 de abril (segunda-feira). Quer isto dizer que os serviços de correspondências, correio editorial e encomendas vão sofrer uma atualização de 4,5%.

Notícia sobre:

CTT vendem antiga sede em Lisboa por 25 milhões

Os CTT – Correios de Portugal formalizaram a venda da antiga sede, na Rua de São José, em Lisboa. O negócio foi fechado por 25 milhões de euros, segundo dados da CMVM. A empresa tinha assinado o contrato de promessa de compra e venda dos imóveis em causa há um ano.

Notícia sobre:

Deco Alerta: Tens a caixa de correio danificada? Poderás ter de ser tu a repará-la...

Já te aconteceu entrar no prédio e teres a caixa de correio estragada? Então fica a saber que a responsabilidade de a arranjar pode ter de ser tua e não do condomínio. No artigo de hoje da rubrica semanal Deco Alerta, destinada a todos os consumidores em Portugal e assegurada pela Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor para o idealista/news, explicamos-te tudo sobre este assunto.

Notícia sobre:

Vai ser mais barato enviar cartas e encomendas

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) confirmou esta terça-feira (dia 7 de novembro) que os CTT não cumpriram o valor mínimo fixado para o indicador do correio normal não entregue até 15 dias úteis e determinou a aplicação de um mecanismo de compensação. Os CTT têm agora 15 dias úteis para fixar os novos preços, que entram em vigor a 1 de janeiro de 2018.

Notícia sobre:

Custo do envio de cartas subiu 50% desde 2013, denuncia a DECO

Os preços para o envio de cartas e encomendas até 100 gramas pelos CTT aumentam a partir de hoje, passando a custar em média mais 2,4%, continuando os envios mais pesados a ter os mesmos custos. A Deco denuncia que o preço do envio de correio normal nacional até 20 gramas já subiu mais de 50% nos últimos quatro anos, criticando o regulador ANACOM por não fornecer dados para analisar os aumentos. Em março de 2013, o selo do correio normal nacional até 20 gramas custava 0,32 euros e a partir de hoje custa 0,47 euros.

Notícia sobre:

CTT acusados pela Autoridade da Concorrência de abuso de posição dominante

Os CTT estão, desde 2012, a bloquear o acesso de outros operadores postais à sua rede de distribuição de correio, violando as regras de livre mercado. A conclusão é da Autoridade da Concorrência (AdC), que acusou hoje a empresa de correios de abuso de posição dominante.

Notícia sobre:

Fundo com 200 milhões à procura de imóveis para residências de estudantes no Porto e Coimbra

A Temprano Capital Partners, fundo de investimento que há quatro meses comprou um retail park em Gaia, acaba de adquirir um imóvel dos CTT com 11 mil m2 no coração de Lisboa para uma residência de estudantes. Agora anda à procura de imóveis no Porto e Coimbra, além de na capital, para desenvolver o mesmo tipo de projetos. E diz ter entre 100 e 200 milhões de euros para investir.

Notícia sobre: