Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Chegou a hora do investimento americano? EUA aliciados pelo imobiliário em Portugal

Cascais
WP diz aos americanos que Cascais é uma das cidades mais atrativos do mundo para viver / Gtres
Autor: Redação

Há uma nova tendência de investimento estrangeiro no mercado imobiliário nacional que começa a ganhar força. Chega do outro lado do Atlântico, mais concretamente dos Estados Unidos da América (EUA). A melhoria da imagem e da notoriedade de Portugal atrai cada vez mais turistas e investidores. Os baixos preços dos imóveis e do custo vs qualidade de vida, face aos daquele país, são outros dos fatores que estão a aliciar os norte-americanos.

“O fluxo de turistas norte–americanos tem vindo a crescer muito e vai ser importante para a economia. Não tenho dúvidas de que a próxima grande onda de investimento em Portugal virá dos Estados Unidos, não só no imobiliário mas também nos negócios. Já percebemos o potencial que existe. A notoriedade que Portugal começa a ter lá é algo que não acontecia há dois anos. E isto não é um detalhe, vai ser mesmo importante”, antecipa, por exemplo, Miguel Poisson, CEO da imobiliária Sotheby’s em Portugal, em entrevista ao Dinheiro Vivo.

A eleição de Trump como presidente dos EUA também tem feito com que muitos emigrantes estrangeiros nos EUA ou investidores internacionais naquele país "procurem alternativas seguras fora na hora de investir em imobiliário, como é o caso de Portugal" , segundo destaca o presidente da APEMIP, Luís Lima.

Portugal é barato e vive-se bem, diz o Washington Post

Por outro lado, o Washington Post publicou na semana passada um artigo em que anima os norte-americanos a investirem na compra de uma casa em Portugal. Neste caso, destacando Cascais. “Comprar uma casa fora do país não é só para os ricos. Em alguns casos, viver no estrangeiro é mais barato do que viver nos Estados Unidos”, escreve o jornal, destacando que “os preços do imobiliário em Portugal estão entre os mais baixos da Europa”. 

A seleção feita pelo Washington Post (no artigo "Dez cidades atrativas que provam que te podes mudar do país e viver confortavelmente”) não contempla, porém, as cidades mais baratas, mas sim as que “oferecem um bom valor”, ou, se quisermos, uma boa relação qualidade/preço, ou melhor, qualidade de vida/custo de vida. A pesquisa foi feita cruzando informações da International Living, a partir de estudo de visitas aos locais

Cascais é apresentada como sendo “cosmopolita mas relaxada”, e como tendo historicamente crescido de vila piscatória para local frequentado pela alta sociedade depois de D. Luis a ter escolhido como retiro de verão. A partir daí, começaram a ser construídas casas e mansões de luxo.

Entre melhores países do mundo para receber um expatriado

Muitos dos americanos que já decidiram trocar os EUA por Portugal, chegam em grande número, à procura do sol, da gastronomia, da hospitalidade e de uma oportunidade para recomeçar uma vida, contava o Público numa reportagem há umas semanas, relatando casos para fundamentar porque é que Portugal é o melhor país da Europa, e o quinto melhor país do mundo, para receber expatriados, segundo um inquérito da InterNations.

E o perfil de quem chega a Portugal com cidadania norte-americana - e procura casa para viver - é variado, abrindo várias oportunidades no mercado imobiliário português.

Além dos chamados vistos-gold - que conseguem autorização de residência a troco de um investimento mínimo de 500 mil euros em imobiliário - há quem venha para arrendar. Como por exemplo Karen Nipps, uma reformada americana que aos 61 anos decidiu deixar Boston e arrendar um apartamento no Porto, tal como partilhou com o diário português.