Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Edifício Golden Gate, no centro do Funchal, hoje em hasta pública

Autor: Redação

O edifício Golden Gate, no centro do Funchal (Madeira), pode ser hoje arrematado, por um valor base de licitação de 12,6 milhões de euros. O prazo para venda do imóvel público terminou na semana passada sem que qualquer interessado tivesse formalizado uma oferta junto do Governo Regional.

O Diário de Notícias da Madeira adianta que o principal interessado na compra do edifício será Dionísio de Sousa, o empresário da estalagem ‘Montanha’, que há cerca de dois anos comprou o espaço do restaurante Golden Gate Café, localizado no mesmo imóvel.

Também essa compra, segundo recorda o jornal, foi feita em hasta pública organizada pelo Governo, sendo que o encaixe financeiro da operação terá contribuído para a decisão do executivo em avançar para a alienação do resto do edifício. A fracção do restaurante foi colocada no mercado por 2 milhões de euros e foi arrematada por uma empresa de Dionísio de Sousa por 4,7 milhões de euros.

O edifício está implantado na zona mais nobre do Funchal, com frentes para a Avenida Arriaga (norte), Avenida Zarco (oeste) e Rua das Murças (sul). É constituído por 9 pisos, sendo que os pisos superiores gozam de vista privilegiada sobre o porto e o anfiteatro do Funchal.

Atualmente, o Golden Gate acolhe um conjunto de serviços públicos - Secretaria da Agricultura e Pescas, Instituto de Desenvolvimento Empresarial e Direcção Regional do Património - que, a concretizar-se a venda, serão transferidos para outro edifício público. A forma como será feita essa mudança já está prevista nesta hasta pública. Durante um ano após a adjudicação, o Governo reserva-se ao direito de utilização do edifício.

Outros sete imóveis para vender este mês

Ainda este mês, a 19 de setembro, a Direção Regional do Património promove outra hasta pública para vender mais sete imóveis públicos, revela também o jornal regional.

No concelho do Funchal, estão à venda dois pequenos escritórios situados no Largo da Saúde (36 mil euros cada) e um edifício na Rua da Alegria n.º 23 (176 mil euros). Em Machico vai à praça um imóvel na Rua de São Lourenço (Caniçal) por 240 mil euros e em São Vicente um terreno na Vila destinado a construção por 214 mil euros. Sobram ainda dois imóveis no Porto Santo: um armazém no Sítio da Ponta por 529 mil euros; e um terreno no Campo de Cima por 95 mil euros.