Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Imobiliário e tecnologia lideram mercado de fusões e aquisições em Portugal

Até maio de 2021, foram registados 141 negócios. E Espanha foi o país que mais investiu neste mercado português.

Negócio
Photo by Cytonn Photography on Unsplash
Autor: Redação

Em Portugal, o mercado de fusões e aquisições continuou dinâmico nos primeiros cinco meses de 2021, registando um total de 141 negócios. Só as operações com valor conhecido – cerca de 40% do total - movimentaram 3,1 mil milhões de euros. E neste cenário foram os setores da tecnologia e do imobiliário que mais atividade registaram, tendo fechado 23 e 21 negócios respetivamente.

Apesar do dinamismo apresentado, os dados agora divulgados pelo relatório mensal da plataforma Transactional Track Record (TTR), mostram que houve uma diminuição de 10% do número total de transações face ao mesmo período de 2020. Quanto ao capital transacionado, a queda é ainda maior: de 53%. Mas, note-se, que estas variações foram calculadas com base nos dados conhecidos, não contabilizando 60% do total de negócios.

Só no mês de maio, registaram-se 21 negócios deste tipo, somando 204 milhões de euros. E a transação destacada neste mês diz respeito à aquisição da Imperial Chocolates pela Chocolates Valor, que contou com a assessoria jurídica da Telles Advogados e da Cuatrecasas e a assessoria financeira do Banco Sabadell e due diligence da PwC Espanha e PwC Portugal.

Espanha foi o país que mais investiu

E qual é a origem do investimento? Espanha arrecadou a medalha de primeiro lugar, registando um total de 16 operações. França fechou 11 negócios e os Estados Unidos dez. O mesmo relatório citado pelo Jornal Económico refere que as empresas estadunidenses aumentaram em 25% os negócios no mercado português, movimentando (até onde se sabe) cerca de 643 milhões de euros. Também as aquisições internacionais no segmento da tecnologia aumentaram 37%, refere a publicação.

Espanha também foi o destino mais recolhido pelos investidores portugueses neste período, selando um total de sete operações. Logo de seguida está o Brasil com três negócios concluídos e depois os Estados Unidos com apenas duas.

Madrid
Madrid, Espanha / Photo by Jorge Fernández Salas on Unsplash

Transações ‘private equity’ descem 33%

Quanto à tipologia das transações, até maio foram contabilizadas oito transações de ‘private equity’, perfazendo um total de 204 milhões de euros. Mas este valor representa uma diminuição de 33% no número de transações e de 93% do valor total em comparação ao mesmo período de 2020, refere o mesmo documento.

“Em 'venture capital', foram realizadas 35 operações e um valor total de 829 milhões, representando um aumento de 34% no número de transações”, lê-se no relatório citado pelo mesmo jornal.