Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

As 10 joias entre os gigantes imobiliários da Europa - os dividendos mais rentáveis

Afinal, quem serão as empresas mais generosas com os acionistas? Analistas respondem.

As 10 jóias entre os gigantes imobiliários da Europa - os dividendos mais rentáveis
Gtres
Autor: Redação

O final do ano aproxima-se e é altura de renovar as apostas no setor dos gigantes imobiliários europeus. É tempo de procurar “novos cavalos” vencedores ou, pelo contrário, de continuar a apostar nos que tiveram melhor desempenho em 2021, nos quais os REIT europeus se destacam - o equivalente às SIGI em Portugal – por oferecerem retornos muito significativos aos investidores.

Para decidir, os investidores têm de pesar diferentes fatores. E um dos melhor parâmetros de avaliação é o rendimento por dividendo. E mais concretamente, o que se espera para 2022. Afinal, quem são as empresas mais generosas com os acionistas e o que pretendem fazer?

- Mercialys. A média dos analistas atribui à empresa francesa especializada em centros comerciais uma rentabilidade por dividendo esperado de mais de 9% no próximo ano. O grupo foi forçado a cortar os dividendos de 2020 por causa da Covid-19, mas os seus planos são os de recuperar a velocidade de cruzeiro muito em breve. Além disso, é um dos 10 melhores grandes REIT do ano, com uma valorização de cerca de 25%.

- Eurocommercial Properties. É proprietário e gestor de imóveis comerciais com um portfólio de 4.000 milhões de euros que inclui 26 ativos premium em Itália, França, Suécia e Bélgica. Também acumula uma grande revalorização de 25% este ano na bolsa de valores e os especialistas esperam um rendimento de dividendos entre 8,5% e 9% em 2022.

- Klepierre, Carmila e BMO. A francesa, com um valor de mercado de cerca de 5.500 milhões de euros, é dona de muitos dos estabelecimentos comerciais que acolhem grandes empresas como Inditex, H&M e Sephora. Assim como a Carmila ou a britânica BMO Commercial Property, o trio de empresas estaria em condições de oferecer aos seus acionistas entre 8,2% e 8,7% no próximo ano.

- Retail Estates e NSI. As duas empresas da Europa Central formam a dupla que pode oferecer aos seus acionistas rendimentos de dividendos na ordem dos 7%. A Belgian Retail Estates investe principalmente em propriedades comerciais localizadas na periferia de áreas residenciais ou em estradas de acesso aos centros urbanos. A NSI é uma empresa mediana na Holanda, cujo portfólio é composto por mais de de 60 edifícios de escritórios que distribuem pelo menos 75% de seu lucro em dinheiro.

- Icade, Civitas, Befimmo. Compõe o grupo de REITs que reportam rendimentos entre 6% e 6,5%. Com um valor de mercado de mais de 5.000 milhões de euros e um portfólio de mais de 15.000 milhões, o Icade tem como prioridade estratégica a redução das emissões de carbono nos seus projetos de investimento em escritórios, saúde e promoção imobiliária.

Por sua vez, a empresa britânica Civitas arrenda casas em regime de arrendamento de longa duração. Depois da crise sanitária, a empresa aumentou a sua meta de dividendos em quase 3%. Por último, a Befimmo concentra o seu portfólio de escritórios e espaços de coworking em Bruxelas, nas principais cidades belgas e no Grão-Ducado do Luxemburgo. Vai distribuir pelo menos 80% do resultado deste ano, pagamento que poderá ser complementado com as mais-valias realizadas com a sua política de rotação de ativos.