Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

TikTok: esta rede social chinesa cresceu sem ninguém dar por isso e é a nova “febre” dos jovens

A app já tem mais de 500 milhões de utilizadores ativos em todo o mundo.

Facebook TikTok
Facebook TikTok
Autor: Redação

“Tic Tac, Tic Tac”. O relógio não para, sobretudo se estivermos a falar de tecnologia e das suas novas funcionalidades. À margem dos olhares “graúdos”, e quase à velocidade da luz, foi-se agigantando aquela que já é considerada uma das redes sociais do momento. E não, não estamos a falar do velhinho Facebook ou do Instagram. A nova – não assim tão nova - “febre” dos “miúdos” chama-se TikTok.

A rede social chinesa ganhou fama entre os mais jovens que são, de resto, o seu grande público-alvo, e é provável que muitas pessoas nem sequer tenham ouvido falar dela. E os números são impressionantes: a app já tem mais de 500 milhões de utilizadores ativos.

Mas, afinal, para que serve? O TikTok é uma aplicação para criar e partilhar vídeos curtos (sempre na vertical) de entre 15 segundos e 1 minuto com música de fundo. O funcionamento é semelhante às “stories” do Instagram ou ao Snapchat, com filtros, efeitos de realidade aumentada, “stickers”e “emojis”, sendo possível enviar mensagens privadas, comentar, gostar e partilhar publicações.

O TikTok – detido pela startup ByteDance - faz sucesso um pouco por todo o mundo e também já chegou a Portugal. Segundo o ECO, o Benfica tem uma conta oficial na app com 16,5 mil seguidores, sendo que o seu vídeo mais popular já soma 450 mil visualizações.

Uma ameaça à segurança nacional dos EUA?

Os EUA estão a investigar a rede social chinesa para determinar se ela pode ser considerada uma ameaça à segurança nacional, uma vez que já conta com mais de 27 milhões de utilizadores no país, segundo a notícia avançada pelo El Mundo.

À partida, escreve a publicação, a rede social não levanta grandes suspeitas, uma vez que a maioria dos vídeos são danças, “memes”, piadas, vídeos de desafio ou músicas. Trata-se, portanto, de uma rede com conteúdo “menos sério”, mas que está a começar a preocupar alguns senadores norte-americanos.  

Dois deles, o democrata Charles E. Schumer e o republicano Tom Cotton, pediram aos serviços de inteligência que estudassem minuciosamente as operações da rede social. "Com 110 milhões de downloads somente nos EUA, o TikTok é uma ameaça potencial de espionagem que não podemos ignorar", dizem os senadores, citados pelo jornal espanhol.