Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Celebra a música no Festival ao Largo com o idealista

www.festivalaolargo.pt
www.festivalaolargo.pt
Autor: Redação

O Festival ao Largo Millennium está de volta para a sua 11ª edição, numa viagem pela ópera polaca e pelo verismo, fados e canções brasileiras. Ao longo de 15 noites, de 6 a 27 de julho de 2019, o Largo de São Carlos, em Lisboa, vai encher-se de espetáculos de música e de dança num ambiente de grande partilha entre público e artistas. O certame conta com o apoio do idealista, um dos patrocinadores do evento.  

Nesta 11.ª edição, a programação musical centra-se na Orquestra Sinfónica Portuguesa e no Coro do Teatro Nacional de São Carlos, que asseguram os espetáculos de três fins-de-semana, complementados por  convidados nacionais e internacionais.

A abrir o festival, no dia 6 de julho, Joana Carneiro conduzirá a Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP), o Coro do Teatro Nacional de São Carlos (Coro TNSC) e um elenco de solistas, num programa composto por Wonderful Town de Leonard Bernstein. O concerto é uma coprodução com o Festival Estoril Lisboa.

Nas noites de 12 e 13 de julho, Johannes Stert regressa à regência da OSP no Festival ao Largo, para um programa marcado pela estreia mundial da peça Largo, de Carlos Azevedo. O alinhamento inclui ainda Capricho Espanhol, a suite orquestral de Rimsky-Korsakov e a 8.ª Sinfonia de Beethoven.

Nos dias 19 e 20 de julho, a OSP e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, sob direção de Andrea Sanguineti, apresentam um programa integralmente dedicado ao repertório operático verista italiano interpretado por duas vozes líricas portuguesas da atualidade: o soprano Cristiana Oliveira e o tenor Carlos Cardoso.

Convidados do Festival ao Largo 2019

  • Capella Cracoviensis – Coro e Orquestra de Câmara, que apresenta, no dia 9 de julho, a ópera Halka, de Stanislaw Moniuszko, em versão de concerto;
  • Banda Sinfónica GNR, no dia 10 de julho, sob direção de João Afonso Cerqueira, apresenta um programa sinfónico que inclui o 4.º andamento da 4ª Sinfonia de Joly Braga Santos;
  • Orquestra Metropolitana de Lisboa, no dia 11 de julho, traz um programa com duas grandes obras de Haydn e Brahms, sob direção do seu Diretor Artístico, Pedro Amaral;
  • Solistas de Lisboa, o pianista Eduardo Jordão e a cantora Luanda Cozetti apresentam a 16 de julho um programa totalmente dedicado ao universo da Música Popular Brasileira: Chiquinha Gonzaga, Tom Jobim e Edu Lobo visitam o Largo este ano;
  • Orquestra do Conservatório Regional de Artes do Montijo preparou para o dia 17 de julho, um programa que reúne obras de Fado e Zarzuela, interpretadas por Teresa Tapadas e Luís Gomes (vencedor da Operalia 2018 na categoria Zarzuela). A direção é de Ceciliu Isfan;
  • Orquestra Gulbenkian, que na noite de 18 de julho apresenta o Concerto para violino de Mendelssohn e a 5.ª Sinfonia de Beethoven. O solista é André Gaio Pereira e o maestro é Nuno Coelho;
  • Orquestra Sinfónica Jovem de Macau, sob direção musical de Pedro Neves, apresenta duas obras de compositores chineses contemporâneos, a Abertura Sinfónica n.º 3 de Joly Braga Santos e o Pássaro de Fogo, de Stravinski. A violinista convidada é Nancy Zhou.

O Festival ao Largo Millennium termina com a presença da Companhia Nacional de Bailado (dias 25, 26 e 27 de julho). O evento é de entrada livre.