Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Reabilitação urbana mantém ritmo de crescimento em junho

Variação homóloga da carteira de encomendas cresceu mais em junho que em maio, revela a AICOOPN.

Reabilitação urbana
Photo by Pedro Hernández on Unsplash
Autor: Redação

A reabilitação urbana em Portugal continua a crescer e a um ritmo consolidado. Isto porque a taxa de crescimento homóloga detetada em junho de 2021 é praticamente a mesma do mês anterior, revela a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN).

A informação consta no Barómetro da Reabilitação Urbana da AICOOPN, divulgado na sexta-feira (dia 23 de julho de 2021), onde pode ler-se que “o índice que mede a evolução do nível de atividade regista uma taxa de crescimento de 7,2%, em termos homólogos, praticamente igual aos 7,3% observados no mês anterior”. Estes novos dados referentes a junho levam a associação a concluir que “a reabilitação mantém praticamente inalterada tendência de crescimento do nível de atividade”.

Ao nível de encomendas no setor, parece haver uma evolução mais positiva, já que o índice apurado pela AICOOP relativo à evolução da carteira de encomendas apresenta, em junho, uma variação homóloga de 7%, superior aos 3,5% registados em maio. Isto quer dizer que, na opinião dos empresários, houve um aumento no volume de obras de reabilitação urbana previstas.

Mas, no entendimento da AICOOPN, há uma explicação simples para esta evolução: ”Estas variações refletem, em larga medida, um efeito base resultante das quebras verificadas nos meses homólogos do ano passado, em resultado dos impactos iniciais da pandemia” da Covid-19, referem no documento.

A produção contratada, ou seja, o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, situou-se em 9,3 meses, acompanhando a tendência recente verificada ao nível da carteira de encomendas.