Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Construção: OPWAY afinal já não fica nas mãos dos moçambicanos, que falharam pagamento

Almerindo Marques, ex-presidente da Opway na corrida à construtora
Autor: Redação

A Nadhari, que fez uma oferta de 5 milhões de euros pela Opway, afinal não vai ser a nova dona da construtora portuguesa. Os moçambicanos não entregaram as garantias a que estavam obrigados até segunda-feira passada e agora a empresa deverá ser alienada aos antigos gestores liderados por Almerindo Marques.

A Espírito Santo Industrial (ESI) quer realizar um novo leilão para a venda da Opway, depois da moçambicana Nadhari, que no dia 2 de fevereiro tinha oferecido cinco milhões de euros pela construtora, não ter apresentado prova de fundos até segunda-feira passada, segundo escreve o Negócios.

As regras do primeiro leilão determinavam que se a garantia não fosse prestada dentro do prazo, a venda das ações da Opway seria adjudicada à segunda proposta mais alta, que foi apresentada pela anterior equipa de gestão da construtora liderada por Almerindo Marques.

A ESI decidiu, porém, avançar com uma nova ronda de licitações, considerando que a Prebuild e os antigos gestores estavam em condições de oferecer um preço superior pela Opway do que o da primeira oferta, de 1,2 e de 1,25 milhões, respetivamente.

A ESI condicionou, contudo, a reabertura do leilão a que os interessados lhe fizessem chegar até esta sexta-feira à tarde uma carta de intenções, aceitando a reabertura do leilão nas condições definidas e que mantêm firmes as propostas.

A Prebuid já não estará interessada nesta operação, tendo perdido o interesse, segundo fontes citadas pelo jornal.