Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lucros da Mota-Engil disparam para 24 milhões em 2018

Empreitada de ampliação do Hospital da Luz / Mota-Engil
Empreitada de ampliação do Hospital da Luz / Mota-Engil
Autor: Redação

Os lucros da Mota-Engil subiram 1.387% para 24 milhões de euros em 2018 (tinham sido de dois milhões de euros em 2017). No ano passado, as receitas da construtora portuguesa cresceram 2.818 milhões de euros (mais 8% que no período homólogo), um valor recorde no grupo.

A empresa revela, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que a melhoria dos resultados deve-se evolução positiva conseguida em todos os locais onde opera. 

A carteira de encomendas atingiu um nível recorde (5,47 mil milhões), cabendo a África metade deste valor (2,7 milhões). No continente africano, o volume de negócios da Mota-Engil subiu 5% para 908 milhões de euros. Nesta região, Angola e Moçambique são “mercados-chave”, apesar de haver outros países a contribuir para os resultados do grupo.

Na América Latina, o grupo atingiu pela primeira vez uma faturação superior a mil milhões de euros, mais 13% que em 2017, e na Europa o volume de negócios cresceu 3% para 856 milhões de euros. Nesta região, a carteira de encomendas atinge os 1.200 milhões de euros, com a Mota-Engil a revelar que “tem uma perspetiva de evolução positiva do mercado de infraestruturas para os próximos anos em Portugal”.

Nos resultados globais, o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 1% para 409 milhões de euros (405 milhões em 2017), sendo que a margem operacional desceu 1%, para 15%. Os resultados operacionais subiram 22% e as perdas caíram para metade (57 milhões de euros face a 102 milhões de euros no período homólogo). 

De referir que a Mota-Engil é das poucas cotadas portuguesas que não apresenta resultados trimestrais, pelo que de 2018 só eram conhecidos os números do primeiro semestre. A segunda metade do ano foi mais favorável que a primeira, já que os lucros atingiram 18 milhões de euros, as receitas cresceram 12% e o EBITDA aumentou 11%.