Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Savills compra T3 Advisors – e passa a oferecer soluções de Ciência e Tecnologia

Norte-americana T3 irá beneficiar do alcance global da consultora acelerando o seu crescimento nos Estados Unidos, Reino Unido, Europa e Ásia-Pacífico.

Negócio e tecnologia
Imagem de Pete Linforth por Pixabay
Autor: Redação

A consultora Savills já selou a compra da norte-americana T3 Advisors, uma operação que lhe vai permitir expandir a sua oferta de soluções e serviços para as áreas das ciências e também das tecnologias. O valor do negócio não foi revelado.

Com esta fusão, ambas as consultoras saem a ganhar. Enquanto a Savills expande o seu portefólio de soluções para novas áreas e irá fortalecer o seu negócio nos Estados Unidos, a T3 irá beneficiar do alcance global da consultora que vai permitir acelerar o crescimento dos seus serviços imobiliários e de 'workplace' nos Estados Unidos, Reino Unido, Europa e Ásia-Pacífico.

Note-se que a T3 Advisors é uma empresa especializada na prestação de serviços de consultoria para as “empresas mais inovadoras nas áreas da Biociência e da Tecnologia”, segundo descreve a Savills na nota de imprensa publicada esta terça-feira (dia 15 de junho de 2021). Para Mark Ridley, Global CEO da Savills, "estes são setores de crescimento fundamentais para nós e são essenciais para a nossa continuada estratégia de expansão na América do Norte”.

É Roy Hirshland, CEO e fundador da T3 Advisors, que vai continuar a liderar esta área de negócio, na posição de vice-presidente da Savills. “Esta é uma fusão que temos vindo a considerar atentamente ao longo dos últimos tempos, e não poderia estar mais entusiasmado com a próxima etapa do caminho da T3”, comenta Roy Hirshland.

Para Paulo Silva, Head of Country da Savills Portugal, “esta aquisição irá igualmente permitir à Savills assumir uma importância crescente na área de “Tenant Rep” tanto a nível europeu com nacional, por força da capacidade de angariação de instruções na América do Norte que irão ter expressão no continente europeu", disse citado pela mesma publicação.