Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Ageas aposta forte no imobiliário português: comprou três edifícios de escritórios em Lisboa

Os valores das operações não foram divulgados.

Photo by Drew Beamer on Unsplash
Photo by Drew Beamer on Unsplash
Autor: Redação

A Ageas Portugal comprou três edifícios de escritórios na área da Grande Lisboa, situados na Rua Castilho, Entrecampos e Estrada de Benfica. O investimento faz parte de uma estratégia de investimento do grupo, que quer reforçar a sua posição no mercado português, especialmente no segmento de escritórios. Os valores das transações não foram divulgados.

“A aquisição destes edifícios integra-se numa estratégia mais ampla de reforço do investimento imobiliário em Portugal, iniciada com o desenvolvimento do novo edifício-sede da empresa no Parque das Nações“, refere Gilles Emond, Head of Real Estate do Grupo Ageas Portugal, citado em comunicado. Simboliza, também, “a vontade do grupo continuar a apostar no setor imobiliário em Portugal, especialmente no mercado de escritórios”, acrescenta.

O espaço na Rua Castilho tem 2.900 metros quadrados (m2) de área bruta de construção acima do solo, distribuídos por sete pisos de escritórios e ainda quatro de estacionamento subterrâneo. O negócio foi assessorado pela Cushman & Wakefield na análise comercial e negociação, pela Vieira de Almeida na componente jurídica e pela Arcadis na vertente técnica.

O edifício localizado em Entrecampos, com 11.000 m2, tem como principais inquilinos a Sky e a AICEP, sendo que o terceiro imóvel, na zona da Estrada de Benfica, totaliza 5.000 m2 de área bruta de construção acima do solo, distribuídos por sete pisos de escritórios e um de estacionamento subterrâneo.

Estes dois imóveis faziam parte de um portefólio da Anchorage Capital Europe e da Lace Investment Partners, que foram assessorados pela CBRE, Morais Leitão, NPN – Neves, Pinheiro, Neves & Associados e Ernst & Young. A Ageas Portugal foi assessorada pela Cushman & Wakefield na análise comercial, Vieira de Almeida na componente jurídica e negociação, Arcadis na vertente técnica e pela KPMG como consultor financeiro e fiscal.