Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Património imobiliário dos seis partidos com assento parlamentar avaliado em 28 milhões (e não pagam IMI)

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Os seis partidos políticos com assento parlamentar - PSD, PS, CDS-PP, PCP, BE e PEV - têm património imobiliário avaliado em 28 milhões de euros, de acordo com as declarações entregues no Tribunal Constitucional (TC). Como não pagam Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) ficam isentos de uma contribuição para o Estado no valor de 112 mil euros (a uma taxa média de 0,4%, tendo em conta que esta pode variar entre os 0,3% e os 0,5%).

Segundo as contas feitas pelo jornal i, os bens detidos pelos partidos vão muito além dos imóveis. No caso destes seis mencionados, os bens ultrapassam os 71,587 milhões de euros. Quer isto dizer que mais de metade do total dos ativos é património mobiliário

Neste campo, o PCP é o partido mais “rico”. O seu património imobiliário está avaliado em cerca de 13 milhões de euros e tem mais de 60 terrenos e 200 prédios urbanos espalhados pelo país, sendo que a joia da coroa é a Quinta da Atalaia, no Seixal – um terreno com 250.000 metros quadrados onde se realiza anualmente a Festa do Avante.

Seguem-se o PS, com prédios avaliados em cerca de 8 milhões de euros (só a sede do Largo do Rato deverá valer perto de 3,5 milhões), e o PSD, com perto de 6 milhões de euros. O BE possui apenas a sede nacional, em Lisboa, avaliada em 1,488 milhões de euros. Em último lugar encontra-se o CDS-PP, que tem perto de dez imóveis com um valor global declarado abaixo dos 600 mil euros.